28 de junho de 2007

SIGLAS

A Emiéle e o Farpas fizeram-me pensar sobre o assunto.
Realmente no "nosso meio" entendemo-nos bem por siglas que nos simplificam a linguagem, mas que se tornam ininteligíveis para os "de fora".

Senão vejam:

Tenho de fazer PA para os alunos que durante o ano lectivo tiveram PR.
Os alunos de NEE e PEI, assim como os de CA e CEP não precisam.
Também tenho de fazer a avaliação do PAA e do PCT para entregar no próximo CP.

Será que já posso concorrer à CML??

7 comentários:

PN disse...

Sempre fazes melhor figura que o outro...

José Alberto Mostardinha disse...

Olá:

RQTW NB HRYKBH DLTW XWRW MWHT YNP LRQTW NB MNBPSWYTM YWHZMYTMC.
LHYM MRXPT.

Bjs,

Emiele disse...

Olá!
É exactamente isso. No nosso dia-a-dia temos mesmo de usar ou siglas ou o nome simplificado porque seriam umas conversas intermináveis.
(confesso, das «tuas» siglas, adivinho algumas e outras nem sequer adivinho)
Um exemplo da minha área: dizemos cêpêcêjota ou ipses, porque dizer várias vezes numa frase «comissões de protecção de crianças e jovens» ou repetidamente «instituições particulares de solidariedade social» é uma seca!
Mas já me tem acontecido dizê-la muito airosa e despachada e ouvir: QUÊÊÊÊ?...
Mas voltando á dita 'vaca fria' salvo seja, o Dr. Negrão,aquilo mostra mesmo a impreparação da criatura.

maria m. disse...

LOL!
é a chamada gíria profissional, não há volta a dar...

Professorinha disse...

E não te esqueças dos EE que têm que tomar conhecimento desses PR e PA... E o CT que têm que fazer esses planos... E o CE que tem que os ler e a DT que tem que os entregar... sei lá...

Hheh...

leonoreta disse...

e ainda há o SPO e a CPCJ.

lalage disse...

E agora as EP e os cursos T2 e T3 (ainda não percebi bem o que são)
Vai-me saber bem daqui a uns dias estar uns tempos a falar a língua de toda a gente (com um bocadinho de sorte até estarei a falar francês)