3 de junho de 2008

Os direitos são todos iguais?

Vi hoje de manhã na televisão (de raspão, já que estava a tomar o pequeno-almoço) os pescadores em greve a revistarem carros de pessoas que saíam ou entravam numa lota de não sei onde.

Fez-me imensa impressão!
Que autoridade tinham aquelas pessoas para fazerem outros sair dos seus carros e terem de mostrar o que transportavam?
As situações de greve justificarão todas as atitudes?

Eu creio que não, e levaria muito a mal que alguém, sem ser uma autoridade policial, quisesse revistar o meu carro!

5 comentários:

Didas disse...

A mim parece-me que eles têm razão, por acaso. Porque há medidas a tomar, e infelizmente nem todos compreendem isso. Há sempre os que se tentam safar e se borrifam para o resto. Ainda hoje em Lisboa se vendia peixe nacional como se fosse uma grande façanha. É por essas e por outras que nóes, portugueses, nunca conseguimos tomar o destino nas nossas mãos. Só estamos todos de acordo em coisas que não têm ponta por onde se lhe pegue, é sempre ao lado.

José António disse...

É difícil ter uma opinião fundamentada. Pelo que percebo os pescadores estão a entrar em desespero, não só pelo preço elevado dos combustíveis, mas também porque os recursos estão pelas ruas da amargura. E, em desespero, faz-se sempre qualquer coisa; frequentemente faz-se asneira.

Saltapocinhas disse...

didas eu sei o que é um piquete de greve a até achava bem que eles não deixassem passar carros.

mas vi-os a abrir à bruta portas de carros, as pessoas a sairem assustadas e não gostei...
é sempre o velho problema dos direitos e dos deveres.

eu penso que os pescadores estão cheios de razão, mas isso não lhes dá o direito de atropelar os direitos dos outros!

como diz o jose antonio, no meio de tanta desespero há sempre muita asneira!

ameixa seca disse...

Eu vi ontem à noite e acho que há falta de formação e carácter de quem faz isso. Acho mal que se furem as greves e que, com engenho e trapaça se queira quebrar a barreira, mas daí a usarem da força e aos berros quererem deitar fora o peixe... isso não. Há muita gente a passar fome e custa a todos nós. As medidas deveriam ser canalizadas para outras pessoas... que são mais culpadas do que aqueles que honestamente querem ganhar a vida que tanto lhes custa.

Anónimo disse...

Olá Saltapocinhas

Em primeiro, aproveito para dizer que já tens mais um fã a visitar o blog. O seu menino saltapocinhas deu-me o endereço e gostei muito!

Relativamente ao artigo, sim, de facto faz impressão...faz lembrar, com as devidas distâncias, o que se passou em Novembro de 75,nas barricadas a cortar o país a meio, não existia ainda, mas pelas imagens e documentários...
Mas tal como faz impressão, dá que pensar no desespero a que aquelas pessoas estão a chegar!

Hoje em dia fala-se muito no aumento das desigualdades sociais! Julgo que é mais um reflexo disso...

Mas...viva a selecção!!! Falemos da selecção! Falemos de futebol, continuemos em conjunto a auto-alienarmo-nos! :-(

Beijos