1 de julho de 2007

Não assino não senhor!

Só hoje já recebi 3 mail's a pedir para assinar uma petição ao Presidente da República "contra a acusação feita pelo 1.º ministro ao prof. Caldeira".

Eu não assino.
Por vários motivos:
1. dei-me ao trabalho de ler a petição e não a entendi: está escrita não sei em que língua, mas português escorreito não é...
2. a liberdade de expressão tem limites...
3. nunca gostei daquele blog, jamais subscreveria os seus artigos...
4. e ainda porque não suporto o advogado de defesa do professor...

Que moral têm para falar de liberdade, gente que apoia pessoas e partidos que a primeira coisa que fariam se pudessem era acabar com ela??

A anedota é velhinha mas vem a propósito:
Conta-se que, quando o Brasil viveu a ditadura dos anos 70, o governo oferecia um Volkswagen a quem denunciasse um comunista.
Quem denunciasse dois comunistas recebia dois Volkswagen.
Quem denunciasse três comunistas... ia preso porque conhecia comunistas demais!

13 comentários:

Eskisito disse...

Por acaso, ainda não recebi tal coisa...mas, lembra-te, a liberdade de expressão não deve ter limites, deve ter bom senso. E, neste caso, acho que se está a passar das marcas com o processo. Qualquer dia é o meu que vai à barra.

Grilinha disse...

Não conhecia o blog e deu-me a curiosidade de o visitar.
Não me despertou interesse continuar a ler.
Felizmente ainda não recebi o dito mail e por norma não costumo assinar documentos pela net.
Boa semana
beijinhos

SaltaPocinhas disse...

Eskisito: terá então os limites do bom senso :)

Olá Grilinha, sê bem retornada!
Eu vi o blog na altura das noticias da casa pia e agora outra vez. Não é o tipo de blog que eu goste de ler. Mas o outro, o do advogado dele, consegue ser bem pior!

Emiele disse...

Ufff..!
Estou bem acompanhada, Saltapocinhas!!! Já andava a achar que era eu que era esquisita.
É que concordo com todos os teus pontos mas para mim há ainda um que me parece importante:
1 - o homem disse umas coisas
2 - alguém (neste caso o PM) sentiu-se ofendido
3 - queixa-se a um tribunal
Mas isto não é democracia?... Agora o Tribunal perante os factos ou o iliba ou condena. Se em vez de um PM fosse outra pessoa qualquer não se acharia normal?!

SaltaPocinhas disse...

uff digo eu, Emiele! Às vezes sou meio destravada e penso que sou a única a pensar assim!!
O teu comentário tem exactamente o que faltava no meu post!
É isso mesmo!
Quem se sente ofendido, seja lá quem for, queixa-se aos tribinais!

Didas disse...

Eh lá! Não estou ao corrente de nada. É grave?

SaltaPocinhas disse...

Não acredito que a padeira mais informada da blogosfera não saiba de nada!
Vou já enviar-te o abaixo assinado!

José António disse...

Também me parece ser coisa para o tribunal resolver. Há no entanto um argumento no teu post que para mim conta como pré-disposição, mas não como argumento. Gostar ou não gostar não me parece que deva determinar a assinatura ou a não assinatura.

SaltaPocinhas disse...

Tens alguma razão, Zé António.
Se fosse uma coisa realmente grave, eu até passava por cima dos meus "gostos", mas como não é...

Fábula disse...

ora aqui está uma posição diferente, e é sempre bom conhecer todos os lados da questão... =)

Maria Cunha disse...

pois... sobre as petições...
raramente as assino, a não ser que tratem de assuntos "globais"... direitos humanos, dos animais ou ambientais... esse tipo de assuntos, sim... fazem-me dar a cara...
assuntos pessoais?... resolvem-se em casa, no emprego... ou, em última instância... nos tribunais...

beijinho

Tuxa disse...

Desconheco por completo e existencia de tal peticao, mas adicionando os pontos da Emiele aos seus, subscrevo por baixo. Os tribunais que desempenhem a sua funcao...

Méon disse...

Devo dizer que no início do tal processo fiz um comentário no blog do dito Caldeira. Em resumo eu defendi que o senhor até se devia sentir satisfeito por poder defender em tribunal os seus pontos de vista.
Mas não: desatou aos gritos "aqui d'El-Rei" que cortaram a minha liberdade de expressão!
E uma data de gente veio a trás, a gritar também!

Não alinhei nesta cegada porque vivi o antes de Abril de 74 e sei distinguir o que é "falta de liberdade" e "usar mal a liberdade".

Com algumas boas excepções, o jornalismo actual é de muito baixa qualidade. Os grandes jornalistas reformaram-se ( veja-se o Fernando Dacosta que não se cansa de denunciar essa falta de qualidade!),
dizem-se as maiores barbaridades sem critério de selecção, só para vender papel. Eu que adorava ler jornais e revistas, hoje não gasto um tostão com essa ganga. Prefiro os blogues de qualidade - há muitos! - que me dão imagem da opinião pública, leio um ou outro extracto de imprensa na Net só para não andar completamente por fora e sinto-me bem com isso.

Não estou a defender o Sócrates mas se fosse a ele teria feito o mesmo contra o dito Caldeira.
Ninguém está livre de encontrar um dia um Caldeira qualquer a devassar a sua vida privada, anos depois de as coisas acontecerem e completamente fora do contexto em que aconteceram.

Aliás: uma das das características básicas dos nossos jornalistas "nova geração" é ignorarem ostensivamente o contexto.

Se amanhã me morrer um filho num desastre e um jornalsita se aproximar de mim a perguntar "O que sente neste momento?" - eu naturalmente grito-lhe na cara "VÁ À MERDA SEU CRETINO!". Mas corro o risco de me ver enxovalhado porque mostrei que não respeito a liberdade de imprensa!

Não há pachorra!