16 de dezembro de 2006

História de amor

Passo por eles todas as manhãs, antes das 9, quer chova quer faça sol.
E já andam na rua há algum tempo, pois quando os encontro estão longe de casa.
E deslocam-se bem devagar.
Porque já não são novos, mas principalmente porque ela se desloca numa velha cadeira de rodas que ele empurra, incansável...

Dá gosto ver aquele casal de velhotes, que, apesar das dificuldades de locomoção, mesmo com chuva e frio, não se conformam em ficar em casa sentados no sofá.

A isto chamo eu companheirismo, amizade, cumplicidade, entre-ajuda, enfim... o verdadeiro amor.
Quantos se poderão gabar de ter um assim?

10 comentários:

Anónimo disse...

Que pergunta... Que difícil! Quando tudo está virado para o curtíssimo prazo, para o compra, consome, deita ao lixo... Complicado... É um verdadeiro post de Natal.

Anónimo disse...

Se calhar mais do que se pensa, saltapocinhas, sobretudo quando se vai para essa idade. O «pára arranca» afectivo/matrimonial é de maltinha mais jovem.

SaltaPocinhas disse...

só que, Emiéle, a maltinha mais jovem também chegará a velha!!

Didas disse...

EEEUUUU!!!
:)

SaltaPocinhas disse...

Eu também Didas, mas não quis estar a fazer publicidade! ;-)

CHUSSA disse...

Hoje em dia ainda vão restando alguns desses exemplos de vida... Tenho pena em dizer que daqui a 30 anos já não se passará o mesmo... Vaicomeçar a fazer-se notar o "carrossel emocional" dos dias de hoje! É pena...
Beijinhos*

Leonoretta disse...

muito poucos. muito poucos. eu pensava que velhice era sinonimo de estabilidade dos afectos mas nao é.
ao fim de muitos anos de casamento muitos casais divorciam-se. passam uma vida inteira a dar-se mal e no fim fica um para cada lado.

beijinhos da leonoreta

Angel disse...

Eu espero q o meu Amor dure até à velhice! E adoro ver casais de 3ª ou 4ª idade a passearem de mão dada na rua, acho tão querido :)

nandokas disse...

Passei há dias por este 'sítio', mas, como era madrugada e o sono já começava a tornar-se 'ditador', apenas abri o 'post' dos teus lindos gatos. Hoje, com mais tempo, reparo neste pequeno texto que retrata, e bem, o amor verdadeiro entre os mais velhotes. E eu, que caminho a passadas largas para lá, subscrevo por baixo a tua definição.
Boa semana e... um Bom Natal!

Didas disse...

Eu sou assim, exibicionista por natureza, lol!