3 de maio de 2008

Allgarve, WC*

Ora aqui está um mestrado interessante!
Mas não o vou fazer, vou esperar que criem o doutoramento!!



Diário da República, 2ª Série, nº51, 12 de Março de 2008

* Não é um insulto, são as iniciais de West Coast!

12 comentários:

Ciranda disse...

Olha, Saltapocinhas, nem sei que diga!!!
Já me chegou este recorte por email há já algum tempo.
Se calhar esta coisa do crescer da relva, etc, mais as ondas, lombas e curvas dos greens, os lagos e os peixes, mais as rãs e os sapos, será ciência bem mais complicada do que nós pensamos... :) :) :)

E o inglês técnico que quilo deve envolver??? Tás a ver a coisa? Ora.

setora disse...

Pois, Saltapocinhas, talvez a ciranda esteja a ver bem a dificuldade da coisa. Se pensarmos naquele cemitério modernaço que afinal não vai servir para nada porque a terra é errada para a finalidade (nunca a palavra teve tanto sentido)! Um mestrado também nesta especialidade cemitérios parece urgente. E este nem precisa do inglês técnico. Quem nem por fax dominar a língua, terá sempre esta opção mais tranquila. Muda e queda...

José António disse...

Enquanto não tiverem de converter alguns em campos de arroz, a coisa parece promissora. Tem, aliás, quase tudo para isso. Jogos com bolas e buracos, desde que não haja fome, são sempre uma excelente ideia.

AnaCristina disse...

Se tudo correu bem, no Alqueva também há colocações para esses especialistas! ;D

Ciranda disse...

Vou adorar ver os greens transformados em campos de trigo doirado, José António!

Olha, setora, essa do cemitério deixou-me de cara à banda. Como é que ficou isso, alguém sabe?

Saltapocinhas disse...

também não sei como ficou a histáoria do tal cemitério.
em relação aos campos de golf, acho que ficariam excelentes a produzir arroz, ou batatas ou qualquer outra coisa útil.

e até podiam utilizar os senhores do golf para os cultivar, sempre eram de alguma serventia!!

Farpas disse...

Olá!

Pois ficam a saber que esse mestrado é bastante conceituado. A UAlg tem formado os melhores greenkeepers. Eu também não sabia bem o que era isso, mas tirei o meu curso na UAlg na mesma faculdade onde existia Engenharia Agronómica que tinha muitas cadeiras de opção ligadas ao golf e que, agora, com bolonha, transformou essas cadeiras em mestrado. A gestão de um campo de golf é bastante mais complicada do que aquilo que possa parecer a primeira vista, não que eu saiba muito disso mas tenho amigos que tiraram esse curso e que trabalham na área. Existem centenas de tipos de relva diferente que devem ser escolhidos de acordo ao tipo de campo que pretendem, assim como as características do local onde vai ser implantado, num só campo de golf há dezenas de tipos de relva diferente, cortado de dezenas de maneiras diferentes e que exigem tratamentos diferentes, há o controlo de pragas, é a diferença entre ter um bom campo de golf e um campo de golf. Outra coisa não menos importante é o controlo da água, eles sabem como gastar o mínimo possível de água com o campo, são procedimentos e estudos feitos não ao acaso... e depois convém não esquecer que não é por acaso que o Algarve é um dos sítios preferidos dos europeus para jogar golf... não é só o tempo... é também a experiência em tratamentos, o que faz com que sejam empresas portuguesas a construir os campos de golf mais finos por essa Europa fora.

;)

Emiele disse...

Quando recebi esse FW também pensei em escrever qualquer coisa sobre ele e depois passou-me.
Fiquei de boca aberta.
Claro que a explicação do Farpas ajuda a entender um pouco a coisa, mas... mas... mas...
Mestrado?...

Emiele disse...

Quando recebi esse FW também pensei em escrever qualquer coisa sobre ele e depois passou-me.
Fiquei de boca aberta.
Claro que a explicação do Farpas ajuda a entender um pouco a coisa, mas... mas... mas...
Mestrado?...

Farpas disse...

No fundo não passa de uma especialização dirigida para Eng. Agrónomos, antes do processo de Bolonha este mestrado fazia parte do curso mas com a passagem para este novo sistema tudo o que é mais específico tornou-se num mestrado. E numa realidade como a algarvia faz todo o sentido ter especializações em campos de golf, é interagir com o mercado de trabalho! Com o processo de Bolonha em muitos cursos um mestrado não é mais do que um conjunto de cadeiras mais direccionadas para um determinado tema que já existiam antes mas que agora não têm espaço para serem leccionadas durante os 3 anos de curso... mestrados destes é o que acontece quando se tenta meter um curso de 5 anos em 3anos!

José Manuel Dias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
José Manuel Dias disse...

Se calhar está a ver mal o problema. É mais útil e terá maior empregabilidade que muitas engenharias que por aí andam...
Não esquecer que o Turismo é uma aposta estratégica e o golf é um âncora do segmento alto.