17 de Maio de 2008

Provas de aferição

Ontem foi a primeira seca das provas de aferição: 90 minutos duas professoras a tomar conta de 10 alunos (e há casos em que são apenas 3 ou 4!)
A prova nem era difícil, mas o tema (a evolução da escrita) pouco próprio para crianças de aldeia, com pais pouquíssimo escolarizados e com um vocabulário limitadíssimo.
Crianças que falam mal, que dizem "amandar" e "botar" e "trebisão"...
Crianças cujos únicos livros são os manuais escolares...
Crianças que ouviram pela primeiravez a palavra "evolução" na escola e que nunca a ouviram repetida em casa.
Para esses, a compreensão do texto (um texto informativo e não uma história) era difícil.

Outro disparate das provas é que, estando estas divididas em duas partes, as crianças não possam, na segunda parte, vir completar o que possam ter deixado por acabar na primeira parte.
As "mentes iluminadas" que fizeram estas regras partem do princípio de que as crianças no intervalo possam tirar as dúvidas umas com as outras!

Só mesmo de quem não conhece crianças!
No intervalo eles querem comer o pão e jogar à bola, querem lá saber da prova!!
É que nem falam do assunto!

8 comentários:

ameixa seca disse...

Claro... as crianças querem (e precisam mais) ser crianças.
E o tema é desajustado claro. Infelizmente fecharam os olhos às diferentes realidades deste país.
Bom fim de semana

bell disse...

Li a prova de aferição do 4º ano por alto e pareceu-me ter muitos pontos em comum com a do 6º, ambas têm um poema, a pergunta para substituir o "e" por um sinal de pontuação adequado é comum às duas, assim como a dos sufixos - no 4º é para acrescentar, no 6º para retirar. Até a proposta de escrita é semelhante: redigir um texto na 1ª pessoa. Dir-se-ia feitas pela mesma equipa!

Didas disse...

Mas essas provas são só para aferir resultados em geral e não em particular, não é?
Isto é mesmo uma pergunta, já estou há tanto tempo afastada destas vidas que não sei.

Shakti disse...

Sou professora do primeiro ciclo e há já algum tempo que apareço por cá...também eu estive com os meus alunos a fazer essas benditas provas e fiz um post acerca da facilidade que os meus alunos tiveram em realizar a prova , mas não tinha visto sobre essa sua perspectiva talvez por um certo egoísmo que nem se dá por ele...ora como em certo modo até concordei com esta perspectivas tomei a liberdade que colocar este post no meu cantinho cibernético, colocando claro está a fonte e o link de onde foi retirado...se por algum caso achar que fui inconveniente diga que depressa o retiro...

Bjs e obrigada pela bela perspectiva global destas provas

Citrika disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Saltapocinhas disse...

didas:

no geral e no particular já que cada escola fica a saber os resultados dos seus alunos.

shakti
é uma honra ser assim copiada, não me aborrece nada, antes pelo contrário!

Didas disse...

Sim, mas isso não os prejudica em nada, pois não?
Com a idade deles fazíamos nós um exame da quarta que até doía. Não estou a dizer que está certo, mas também não nos caiu um bracinho por isso.

arte por um canudo 2 disse...

São provas e citando alguém de "fato único".Os projectos educativos apontam para as realidades de cada escola as provas são iguais para todos.Até os NEE apanham com esse fato.Bjs