15 de maio de 2008

E as famílias??

Hoje comemora-se o dia da família, ou algo que o valha, que para o caso não interessa muito.
O que importa, ou devia importar, era a família e não um dia por ano, mas sim todos os dias!

Há dias, a ministra da educação falava de como os alunos das escolas "ficavam caros" ao país.
Será que ela alguma vez se deu ao trabalho de perguntar a alguém quanto custa ao país uma criança ou jovem numa instituição?
Seria bom que o fizesse!
Seria bom se todos os que andam a fazer leis de trabalho completamente estúpidas, se debruçassem um bocadinho sobre este assunto e seguissem de vez um provérbio muito certo: mais vale prevenir que remediar!

O que vemos é que cada vez as pessoas têm menos tempo para estar com os filhos, graças a horários de trabalho missão cada vez mais disparatados e dependentes da boa ou má vontade de um qualquer "chefe"!
E nunca, eu nunca vi como agora o "culto ao chefe", o "não sou obrigado a ficar, mas se não ficar não cai bem" em todo o tipo de trabalhos!

As pessoas precisam de tempo para estar juntas, precisam de descansar aos domingos, precisam de, quando saem de casa, saber a que horas vão voltar!
E não desta bandalheira capitalista desenfreada, onde tudo se reduz ao lucro, esquecendo que a maior riqueza de um país é o seu povo!!

11 comentários:

Angel disse...

Mai nada! Aplaudido e subscrito!

Didas disse...

Lol, deve ser o primeiro post em que falas da ministra que eu concordo!

PS: A padaria está a promover a entrega dum brioche, participa!

Santos Passos disse...

Do jeito que andas a reclamar penso que chegou a hora da reforma (pelo menos é o que se passa comigo). Calma, não me xingues.
Beijinhos.

José António disse...

Tens toda a razão, mas a globalização não deixa. Até a ala mais conservadora da igreja já percebeu isso. Por cá, os socialistas encomendaram uns estudos sobre a matéria. Isto não vai lá nem com brioche à borla.

Emiele disse...

Bravô!!!!

Tás a ver que sabes muito bem «falar de política»???
Querida Saltapocinhas, este teu post vai para a minha coluna dos «Muito bem dito!»
(adorei também teres riscado o trabalho, 'traduzido' para missão! )

Hands of Time disse...

REalmente tens toda a razão! Bom fim de semana!

aflores disse...

BOA!!!!! Apoiado!!!! Aqui está um post que adorava ter escrito.
Permita que eu diga que faço minhas as tuas palavras :))))

king disse...

Olá, olá!!!
Vim do Pópulo para aqui. Costumo seguir os conselhos lá da Emiéle e ler os posts que ela recomenda e hoje tive o prazer de vir aqui ter!
Clap, clap, raposinha como diz sempre o Palmeiro!
Belo post, certeiro à brava!

Joaninha disse...

Muito bem dito!
Nem mais!!!!

Saltapocinhas disse...

obrigada à emiele pelo destaque, e ao king e à joaninha pela visita!

santos passoa:
infelizmente estou ainda muito longe desse dia!

didas:
vou tentar ganhar o brioche!!

jose antonio:
mais uma vez, espero que não tenhas razão!

aflores, hands:
obrigada!

(e vê-se bem que é fim de semana, até tenho tempo de responder a comentarios!)

ameixa seca disse...

O termo família tem tomado contornos em nada semelhantes ao que seria desejável. Para se ser família é preciso muito mais... mais espaço, mais tempo, mais brincadeira, mais partilha, mais comunicação. Mas o dinheiro e a qualidade de vida (e não vida de qualidade), levam a uma desvalorização e simplificação do termo. Infelizmente, para todos os profissionais que tentam educar para a solidariedade, a igualdade e a honestidade, a senhora ministra da Educação não teve a família no verdadeiro sentido da palavra.
Bato palmas ao teu texto.