30 de abril de 2008

Já comecei a organizar o meu portefolio...

... que isto de ser avaliada tem os seus requisitos!

Mas nada de especial: apenas uma pequena organização de papéis, como podem constatar na foto anexa!


(imagem recebida por e-mail)

29 de abril de 2008

Monstruosidades

Quando pensamos que já vimos todas as monstruosidades que os seres humanos são capazes de fazer, aparece mais uma para nos mostrar que afinal estávamos errados.

Estou a falar do monstro que trancou a filha numa cave durante vinte e quatro anos.
E, não contente com isso, ainda lhe fez sete filhos!
Não tenho sequer vocabulário para dizer o que penso deste homem monstro.

Mas esta história macabra deixa-me cheia de dúvidas...
Será possível que o homem pudesse fazer o que fez sozinho, sem ajuda da mulher?
Eu sei que não devemos lançar falsos testemunhos, mas custa-me a crer que um homem consiga manter quatro pessoas em cativeiro durante tantos anos e a mulher nunca tenha desconfiado de nada!
Não repararia na quantidade de compras (alimentos e não só) que o marido tinha necessidade de fazer?
Ele fazia obras na cave e ela não dava por nada?
Não estranharia a conta de água e de luz?

Por muito insonorizado que o local estivesse seria possível nunca se ouvir nenhum barulho estranho?

Enfim, esta parece-me ser uma história que ainda não foi devidamente contada!

27 de abril de 2008

Uma fotografia por domingo (51)

O meu "desaparecimento" por estes dias, deveu-se ao facto de ter andado a descansar os olhos com paisagens destas...

... e a dormir num convento!

23 de abril de 2008

Deficit democrático (e não é na Madeira!!)

Saiu ontem o decreto-lei sobre gestão das escolas.
Ainda não o li com muita atenção, fiz apenas uma leitura rápida, mas já deu para perceber que a democracia nas escolas é coisa do passado.

Acabam-se os órgãos colegiais, o director e os seus capatazes adjuntos reinam com poder absoluto...
O conselho pedagógico que era até agora o órgão máximo do "poder" na escola, formado por muitas pessoas todas com poder decisório (e para quem ignora, no pedagógico estão representados também os pais e os funcionários da escola) passa a ser agora um mero "enfeite".

Até os coordenadores de escola, que sempre foram eleitos pelos seus colegas de escola, vão passar a ser nomeados pelo director-todo-poderoso!

21 de abril de 2008

A entrevista da Ministra

Foi ontem, ao Correio da Manhã, mas só hoje tive tempo para a ler.
Dela, destaco estas pérolas:

"os chumbos são uma forma de facilitismo para resolver os problemas dos alunos com dificuldades, porque os deixa entregues a si mesmos."
"em minha opinião, a repetência ou o chumbo é o elemento mais facilitista do sistema educativo. É a coisa mais fácil. O aluno está com dificuldades, fica ali num cantinho da sala e no final do ano repete. Isso é o que há de mais facilitista no nosso sistema."

- não sei se é maldade ou apenas ignorância, e acredita mesmo no que disse.
De qualquer maneira isto é falso!
Os alunos mais fracos são, numa turma, os que mais trabalho exigem dos professores.
A cena dos meninos "burros" abandonados na sala ( e não era no cantinho da sala, mas ao fundo...) existia há 40 ou 50 anos atrás!
Actualize-se!

"a avaliação, que no anterior modelo não tinha qualquer consequência em termos de progressão na carreira."

- mentira: quem não apresentasse o relatório ou não tivesse os créditos necessários não progredia na carreira!

"havia os professores mais experientes, mais graduados e melhor remunerados mas isso não correspondia a nenhuma responsabilidade."


- ai não?
Então quem coordenava as escolas, quem pertencia a pedagógicos e a assembleias de escola? Seriam os mais novos?

"A razão [dos chumbos aos 7 anos] são as dificuldades com a leitura. São crianças que aos sete anos não aprendem a ler com a desenvoltura da maior parte das crianças. O que era preciso não era chumbá-las. Era no momento exacto em que se percebem as dificuldades superá-las com mais trabalho. Com outras estratégias."

- aqui realmente não sei se ria se chore...
Podia talvez desafiá-la a pôr a ler em 1 ano lectivo muitas crianças que eu conheço!

"Uma das medidas mais importantes que tomámos foi a das aulas de substituição. Reduziu muito a indisciplina."


- esta é mesmo para rir, aqui não há dúvidas!

"É por isso que eu sou defensora da municipalização de uma parte do ensino porque os municípios têm condições de ter políticas para as escolas. Os autarcas são responsáveis de todos os sectores e podem ter políticas mais amigáveis para o sistema educativo."


- esta só pode ser para assustar o pessoal... como a história do papão que se contava às criancinhas para comerem a sopa.

"Com menos dinheiro, menos pessoas conseguiu mais resultados. Isto é verdade?
- É verdade."


(sem comentários)

20 de abril de 2008

Aos olhos de Deus

... é o último livro de José Manuel Saraiva.

"1514
Na época áurea dos descobrimentos portugueses, D. Manuel I toma a decisão de enviar ao Papa Leão X uma grande embaixada, demonstração viva do seu poderio temporal.
D. Diogo Pacheco, fidalgo da corte, amigo pessoal do Rei Venturoso, é encarregado pelo monarca de compor e proferir a Oração de Obediência ao Sumo Pontífice, o momento alto da embaixada.
A comitiva parte de Lisboa em cinco embarcações com um tesouro valiosíssimo e animais exóticos trazidos da África e da Índia.
Após conturbada viagem o cortejo chega a Roma(...)


Comprei-o hoje, aproveitando que o autor estava no centro comercial cá do sítio numa sessão de autógrafos.

José Manuel Saraiva foi muito amável e simpático.
(e cá entre nós, é mais giro que na foto que vem no livro!)
Quanto ao livro, como gostei bastante do anterior ("Rosa Brava") espero que este também não me desiluda!


O meu autógrafo!

17 de abril de 2008

Há dias assim...

...em que chego a casa estafada e com vontade até de mudar de profissão!

Na minha turma tenho dois grupos, um de 1.º ano e outro de 2.º ano (isto sem falar nos grupinhos que se formam dentro de cada grupo...)
O grupo de 1.º ano dá imenso trabalho, mas como progridem normalmente isso torna o trabalho gratificante.

Já o grupo do 2.º ano, não sei que lhes faça!
São nove e, à excepção de um, são todos alunos muito complicados.
Não no comportamento (a não ser uma menina), mas nas aprendizagens.
Têm imensas dificuldades em perceber o que eu digo ou quero dizer (e eu sei que me faço entender porque os outros percebem-me!)
Têm capacidades intelectuais abaixo da média, os conhecimentos deles são limitadíssimos e têm uma enorme falta de compreensão.

Usar a imaginação, ir um bocadinho mais além, resolver um problema, entender uma história? Nem pensar!
Às vezes esmoreço mesmo e apetece-me ficar pelo trivial: ler, escrever e contar!

15 de abril de 2008

Optimus ou "pessimus"?

Às vezes aparece publicidade nas televisões e rádios que nos insultam a inteligência.
Outras vezes, são tão fraquinhas que nem a isso se atrevem!
Como é o caso na nova publicidade aos telemóveis da Optimus: na televisão, um rapaz ou uma rapariga, com muitos braços para poderem simultaneamente telefonar, enviar mensagens, e fazer sei lá mais o quê.

Na rádio, os "raspanetes" habituais dos pais a filhos adolescentes, como por exemplo os ralhetes que começam por "enquanto viveres nesta casa...", levam o rapaz em questão a poder telefonar não sei quantos horas (não sei em que medida isso lhe vai dar independência, mas pronto...).

Quase parafraseando o slogan publicitário: "a idiotice sem limites!"

13 de abril de 2008

Uma fotografia por domingo (50)

Que neste caso até são duas!

No domingo passado fui passear ao Parque de Aveiro (Parque Infante D. Pedro).
O local que em tempos foi aprazível está transformado numa lixeira a céu aberto.
As plantas que lá existem em maior quantidade são as urtigas!

Eu sei que a Câmara não tem dinheiro e patati patata, mas há coisas para as quais a falta de vontade, de organização e de vergonha na cara, são superiores à falta de dinheiro!

(Não tem nada a ver com o assunto - ou talvez tenha, mas esta semana foram à minha escola plantar uma árvore.
Tudo muito bem, uma iniciativa altamente louvável da CMA.
O que eu achei estranho foi que, num dia, só para ver onde a árvore iria ser plantada, foram lá quatro pessoas.
No dia da plantação da árvore eram oito!!

Sei lá, se calhar alguns podiam ter ficado a tratar do parque, digo eu que sou ignorante...)



11 de abril de 2008

Para alguns que ainda tinham esperança que o Presidente da República viesse fazer a diferença (eu não, que tenho boa memória e me lembro muito bem como foram os governos dele...) foi dada hoje a machadada final nas legítimas aspirações dos professores!

Menina-coragem

Faz parte do primeiro grupo de "amigos virtuais" que tive.
Nessa altura os blogs eram poucos (ou eram poucos os que eu conhecia) e as visitas e comentários aconteciam diariamente.
Dos comentários passou-se para a troca de e-mails, para o messenger e para algumas conversas noite dentro.

Foi assim que conheci a Tânia.
Depois, e por uns tempos, perdi-a de vista.
Reencontrei-a há pouco tempo e foi então que soube que a Tânia está doente, com problemas cardíacos.
Problemas tão graves que está neste momento à espera de um coração novo.

No entanto...
Continua cheia de genica e vontade de viver, e vai contando as suas peripécias no blog.
Blog esse onde decorre um inquérito que ela gostava que tivesse muitas respostas.
Venho pois aconselhar a que passem por lá, com a garantia de que vale a pena conhecerem-na!

É aqui, no Just things.

10 de abril de 2008

Descubra as diferenças

Lembram-se de eu ter falado aqui de uma paragem de autocarro destruída?
E de mais tarde ter lido no jornal que o presidente da Junta ter dito desconhecer o assunto, porque nem sequer lá passava?

Pois é, entretanto o senhor (ou alguém por ele) deu com o lugar...
E intervieram na paragem...
Como?
Como podem constatar nas fotos anexas!
Palavras para quê?
(depois criticam-me por eu não levar fé nenhuma nas autarquias!...)


paragem2.jpg

...uma daquelas fitas plásticas a fazer não sei o quê... e reparem no pormenor dos vidros pelo chão!
Nem uma pá do lixo levaram com eles?????????

paragem3.jpg

os vidros partidos ficaram mais perigosos ainda do que antes, pois não têm a protecção da chapa (chapa essa que foi tirada por alguém que lhe achou alguma utilidade!)

É assim que querem ensinar as pessoas a respeitar o que é público?
Com exemplos destes, de total falta de respeito por todos, mas principalmente por quem se serve da paragem?

9 de abril de 2008

E se de repente te saísse o Euromilhões?


A maior parte das pessoas, quando pensa no que vai fazer se ganhar o euromilhões, pensa em casas, carros, jóias e viagens...

Eu costumo lembrar-me do euromilhões quando entro numa livraria!
Pegar em livros como quem pega em mercearia, metê-los para um carrinho...
Uau!

(depois teria de pensar na tal casa para arrumar tantos livros!!
...e já agora também convinha começar a fazer apostas!)

7 de abril de 2008

O respeito

Tenho algumas imagens da cena ainda na memória, embora muito vagamente:
a cozinha da minha avó, o banco corrido de madeira ao pé da lareira, a minha mãe e uma outra mulher (penso que era tia da minha mãe).

Lembro-me de essa mulher dizer à minha mãe que me devia educar (ou algo do género) pois uma criança não devia tratar os pais por tu.
Creio que foi a partir desse dia que comecei a tratar os meus pais por "você".

Ainda hoje tenho uma certa inveja de quem trata os pais por tu.
Parece-me um tratamento mais carinhoso e "aconchegado" que o tratamento por "você".

______________________

Neste caso mais que falado da rapariga-do-telemóvel-e-da-professora, ouvi muitas vozes (incluindo ontem nos prós e contras) a referir, como sendo uma grande falta de respeito, o facto de a rapariga tratar a professora por tu.

Os meus alunos são pequeninos e tratam-me por tu.
Nunca me passou pela cabeça exigir-lhes outro tratamento, embora saiba que no 2.º ciclo já lhes exigem o tratamento por você, e até já ouvi algumas críticas ao 1.º ciclo por tanta "proximidade".

Os meus alunos tratam-me por tu e nunca considerei isso como uma falta de respeito, antes pelo contrário: é um sinal de afecto.

No "caso do telemóvel", escandaloso foi, para muitos, o tratamento por tu.
Assim sendo, se a rapariga tivesse dito, em vez de "dá-me o telemóvel já", "dê-me o telemóvel já", seria muito menos grave?

6 de abril de 2008

Uma fotografia por domingo (49)

tulipa_negra.jpg

Vinda expressamente da Holanda, a tulipa negra, que afinal não é bem negra.
Floresceu hoje e saiu assim vermelho muito escuro!

P:
já tens desculpa para voltar de novo à Holanda!
Ou melhor, vou lá eu já que tu não deste conta do recado!

Diferença entre gastar e desperdiçar


Ontem passei a tarde em Coimbra, na zona do estádio.
Ao contrário do habitual (tenho lá passado muitas tardes de sábado) o ambiente estava animadíssimo: a esplanada do S. José cheia (embora essa seja sempre bem animada!), o Dolce Vita que costuma estar quase às moscas, também cheio de gente.

Rapidamente esncontrei a explicação para o sucedido: a Académica jogava com o Vitória de Setúbal, e o estádio é mesmo ali, no meio da cidade!

Ao contrário de Aveiro que foi construir um estádio lá onde Judas perdeu as botas, em Coimbra restauraram e melhoraram o antigo estádio, mantendo-o no mesmo lugar, um lugar bem central, onde as pessoas da cidade até podem ir a pé.
Se em Aveiro temos um estádio às moscas, só servindo quem vai mesmo ao futebol (e que são poucos), em Coimbra temos um estádio que dinamiza a cidade, porque se encontra no meio dela!

Não basta gastar dinheiro, é preciso saber como e onde o gastar.
E este gesto faz a diferença entre quem gasta o dinheiro bem gasto e quem o desperdiça impunemente!
E mais grave ainda: quem desperdiça impunemente o dinheiro que é de todos nós!

4 de abril de 2008

Para lá de nojento!!

À hora de almoço "passei" pela TVI e apanhei ainda com uns segundos (não devo ter visto nem um minuto) do programa do Goucha.
Despertou-me a atenção porque a parceira dele estava a entrevistar uma criança, que estava de costas para não ser reconhecida (???????).

Percebi do que se tratava porque a legenda dizia qualquer coisa relacionada com o episódio da fita-cola.
Estava então o "herói" a ser entrevistado, e no programa estava o pai da criança, todo risonho, e o Goucha dizia-lhe qualquer coisa que já não ouvi bem, mas que demonstrava solidariedade com a criança "traumatizada".

Quando a gente pensa que as televisões (com a TVI à frente) já chegaram ao fundo do poço, ainda conseguem surpreender-nos!
Nojento mais nojento não há!!

3 de abril de 2008

Carta aberta...

Recebi por mail uma "carta aberta à ministra da educação", da qual ressalto a seguinte frase, que considero muito bem apanhada:

«Neste momento V. Excia lembra-me um pastor perdido na serra a quem as ovelhas há muito não respeitam. A seu lado só tem os cães mas esses não fazem parte do rebanho…»

Domingos Freire Cardoso

2 de abril de 2008

Violência?

Parece que uma professora utilizou fita-cola para calar uns meninos faladores...
E um caso destes aparece em todos os jornais como se de uma notícia se tratasse!
Violência?
Violência seria se ela os tivesse agrafado!!

(que raio de pais são estes que, em vez de o resolverem na escola, levam assuntos destes a um tribunal??)