17 de abril de 2008

Há dias assim...

...em que chego a casa estafada e com vontade até de mudar de profissão!

Na minha turma tenho dois grupos, um de 1.º ano e outro de 2.º ano (isto sem falar nos grupinhos que se formam dentro de cada grupo...)
O grupo de 1.º ano dá imenso trabalho, mas como progridem normalmente isso torna o trabalho gratificante.

Já o grupo do 2.º ano, não sei que lhes faça!
São nove e, à excepção de um, são todos alunos muito complicados.
Não no comportamento (a não ser uma menina), mas nas aprendizagens.
Têm imensas dificuldades em perceber o que eu digo ou quero dizer (e eu sei que me faço entender porque os outros percebem-me!)
Têm capacidades intelectuais abaixo da média, os conhecimentos deles são limitadíssimos e têm uma enorme falta de compreensão.

Usar a imaginação, ir um bocadinho mais além, resolver um problema, entender uma história? Nem pensar!
Às vezes esmoreço mesmo e apetece-me ficar pelo trivial: ler, escrever e contar!

9 comentários:

José António disse...

Acho o teu "trivial" uma óptima ideia. Ter 1.º e 2.º ano cria uma situação muito difícil a merecer a devida ponderação por parte dos órgão de administração e gestão da Escola. Pelo que descreves esses alunos precisam de apoio educativo.

Saltapocinhas disse...

precisam de apoio??
são "só" cinco ciganos numa turma de 20!! e apoios? pensas que há??

mas não é dos ciganos que me estou a queixar, que a esses nem o trivial consigo dar!

quanto aos outros, o trivial é muito pouco!
tenho dias em que penso desistir, mas depois isso passa-me!

Angel disse...

São alunos como os teus do 1º ano que nos fazem sentir realizadas, mas há outros realmente que nos tiram do sério e pensamos em desistir... Mas temos que pensar é nas coisas boas e gratificantes que esta profissão nos traz, pq senão dávamos em doidas :)

Emiele disse...

Querida Saltapocinhas, ver-te desanimada é coisa espantosa!... Não me lembro de outra vez!
E nem vale a pena animar-te a pensar em férias porque quando chegarem às férias seria suposto essas criancinhas terem adquirido as bases que dizes não terem.
Parece-me realmente um caso para uma orientação por um técnico. Não há por aí?...

Geoca disse...

Em todas as profissões é assim, há dias que apetece em desistir de tudo. Quando isso acontece, eu cá procuro sempre a verdadeira importância das coisas boas. Por vezes basta uma só coisa boa contra muitas outras más. Desde que essa coisa boa tenha uma importância enorme e que acabe por pesar mais do que as outras.

aflores disse...

"Há dias de manhã, que um gaijo à tarde não apetece sair à noite!" É costume dizer cá para os meus lados, e o problema, é que "esses dias" repetem-se imenso. :0)

Bom fim de semana, com muito temporal (dizem). Lá se vão as orquídeas.

Didas disse...

Pois... os braindead... é chato.

ameixa seca disse...

Olá!
Gosto muito deste seu blog. A àrea da educação interessa-me, particularmente com crianças tão pequeninas. Vou adicioná-la ao meu blog ok? :-)
Tenho duas questões: os do 2º ano não foram seus alunos no 1º ano?
Os pais o que dizem acerca do assunto? Será que se dão ao trabalho de acompanhar os filhos em casa?
Não existe psicólogo na sua escola?

gaia disse...

imagino que aqueles filmes, tipicamente americanos, com crianças crenciadas que são todas muito inteligentes e bla, bla, bla... seja só mesmo nos filmes!

força!
se não valer o esforço por eles, pelo menos fá-lo por ti!