24 de março de 2009

Educadoras, vejam lá se aprendem alguma coisa!

Atentem neste belo diálogo, entre uma "educadora" e uma menina, numa pré-escola deste país.

- Como é que se chama o teu gato?
- Tica.
- Tica? Escreve lá: Tica.
(a menina diz que não sabe escrever)
- Então diz-me as letras!

Nome da menina desta história: não sei.
Nome da "educadora": Maria de Lurdes.

Mas, pronto... não é uma Lurdes qualquer!
Não acreditam?
Então sigam este link!

8 comentários:

ameixa seca disse...

Ela é tão, tão... como é que hei-de dizer? Desfasada da realidade será o termo certo?
Eu não andei no pré-escolar e até me safei bem, será isto mesmo necessário?

Emiele disse...

Completamente desfasada da realidade sim!!!

Nenhum espanto.
Terá alguma ideia do que é o programa do pré-escolar?...

Emiele disse...

Ainda cá volto, para um 'desabafo'. É que se aqui entre os professores a coisa é talvez mais visível, essa coisa das avaliações, análise de desempenho, etc, é um cancro que anda a apanhar toda a função pública.
Passámos de um ponto onde inicialmente (há 30 anos) não havia avaliação exacta, para uma avaliação rotineira com uma tabela onde se chegava a 8, 9, 10 com facilidade, ao momento actual onde não se pensa noutra coisa. Encontrei ontem uma colega que não via já há anos. Tem uma função de chefia num organismo. estava com um aspecto cansado e desanimado o que contrastava com o seu aspecto habitual. Disse-me que estava a fazer contas para a reforma, porque não aguentava mais. Perdia mais tempo a conceber objectivos e avaliá-los do que a trabalhar.
Anda todo doido varrido!

Shakti disse...

Nem deve saber o que é o Pré-escolar...

bj

Saltapocinhas disse...

a propósito do teu comentário, emiele, também conheço pessoas noutras profissões, mas ligadas ao publico ou então a bancos que têm os mesmos problemas...

ainda hoje ouvi na TV que nas assistentes sociais um dos objectivos é "quantas crianças institucionalizas"!

é de loucos!!

entremares disse...

Não sei se concordam comigo... mas penso que cada vez mais isto gira tudo em função da forma, e cada vez menos em função do conteúdo...

O que é preciso é que todos os papéis estejam no sítio, os relatórios feitos, as grelhas correctas... faz-me lembrar um episódio daquela série do " Sim, senhor ministro", em que existia um hospital modelo em Londres, que não dava prejuizo, a produtividade dos funcionários era máxima, não havia reclamações dos doentes... porque o hospital já fora inaugurado há um ano e ainda não tinha um único doente.

Portanto, só funcionava a burocracia, os relatórios, os turnos, blá-blá, blá...

Enfim...

aflores disse...

Tu gostas mesmo muito dessa Lurdes :)))))) gostas gostas ;)

Lucinda disse...

Uma vez tive um problema com um encarregado de educação, numa escola. A primeira e única coisa que me pediram foi os papéis que havia para preencher.