14 de março de 2005

A lógica de Einstein

einstein.jpg Nasceu a 14 de Março de 1879, em Ulm na Alemanha. Se os seres humanos tivessem uma esperança de vida "decente" ele festejaria hoje 126 anos.

Mais do que as suas teorias da Física (das quais não percebo grande coisa) gosto do Einstein por ter sido uma pessoa lutadora que nunca se deixou abater.
Teve problemas no seu país de origem (afinal não é só em Portugal que estas coisas acontecem...) e nem por isso se fez de coitadinho: "não me ligam nenhuma no meu país, a mim que sou um génio, então vou para arrumador de automóveis ou para colunista de jornal..."

Gosto muito mais dos seus pensamentos contundentes e das histórias que lhe atribuem, como esta que se segue...

Conta certa lenda, que estavam duas crianças a patinar num lago gelado. Estava uma tarde nublada e fria, e as crianças brincavam despreocupadas.
De repente, o gelo quebrou-se e uma delas caiu, ficando presa na fenda que se formou. A outra, vendo o seu amiguinho preso, tirou um dos patins e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, conseguindo por fim, quebrá-lo e libertar o amigo.
Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino:
- Como conseguiste fazer isso? É impossível que tenhas conseguido quebrar o gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis!
Nesse instante, um ancião que passava pelo local, comentou:
- Eu sei como ele conseguiu.
Todos perguntaram:
- Pode dizer-nos como?
- É simples - respondeu o velho: não havia ninguém ao seu redor para lhe dizer que não seria capaz.

( Albert Einstein )

22 comentários:

Carla disse...

Que história lindíssima. Realmente somos moralmente responsáveis pelos conselhos desastrosos que por vezes podemos dar aos outros. Por vezes não arriscamos mais porque há sempre quem diga que não somos capazes. Um belíssimo exemplo, este. Beijo grande :)

Armando S. Sousa disse...

É uma história de génio.
A moral é que o pensamento e a imaginação podem fazer milagres, quando não são negativamente inflenciados.
Um abraço.

Anónimo disse...

Está dificil conseguir comentar! Só para te dizer COMO ELE TEM RAZÃO!!! Bj da Fernanda

Cakau disse...

Curiosamente, acho que devo dizer que coincidências acontecem.
Ontem no livro "Almanaque do Pensamento 2003", li essa mesma lenda. Escusado será dizer que quando me deparei com este post não pude evitar um sorriso :)

Um beijinho e boa terça-feira *

Amaral disse...

A história é bem elucidativa de como pode uma geração passar para outra geração, e assim por diante, regras, conceitos, valores, que são próprios dos seus tempos, mas não podem ser imutáveis.
Einstein foi um génio, porque não se deixou manietar por verdades que não podiam ser absolutas. Nada hoje é igual àquilo que foi ontem, porque o homem tem a capacidade de estar a criar, a todo o instante.
Einstein compreendeu que a sabedoria do universo estava dentro dele, porque ele, o universo e todas as coisas e pessoas, eram simplesmente "uma coisa só"!

JesusRocks disse...

Não querendo ser demasiado filosófico, diria que o Homem nada cria - apenas transforma aquilo que já existe.

Yardbird disse...

Certeiro, hein? :-)

darkman disse...

bem, tb n devemos esquecer outra coisa nada boa... quem inventou a bomba atomica?...

ashistorias.blogspot.com
ospensamentos.blogspot.com

folhasdemim disse...

Que lenda fabulosa!!! Beijinhos, Betty :)

BlueShell disse...

BOA!!! Eu estava a precisar de ler esta fábula. Estou atrapalhada. Depois explico. Tenho de ir. Jinho, BShell

Leonoretta disse...

Artigo bonito e interessante. exactamente. o homem consegue sempre ultrapassar as dificuldades por ele proprio.

aflores disse...

...é tudo relativo, é tudo relativo. Espero pela minha mulher 2 minutos e esses 120 segundos parecem uma eternidade :):)

b.m. disse...

Vi coisa parecida em outro lugar; em uma revista do Sandman (da Vertigo: "quadrinho pra adultos", pelo slogan) uma personagem que tinha poderes gigantescos, simplesmente porque não sabia que não podia ter.
Apenas lembrando um dos que comentaram ("quem inventou a bomba atômica") que os criadores não tem culpa do uso que fazem das criações. Santos Dumont se suicidou pelo uso que deram aos aviões. Ele não os fez para bombardear ninguém, nem Einstein estudou física pra explodir Hiroshima.

Anónimo disse...

Esse velhinho sabia mesmo tudo!Até como as pessoas se comportam em certas situações.Se desejar-mos mesmo uma coisa não há força que lhe resista, mesmo contra as leis da natureza previamente estabelecidas. Já cumpri o meu dever civico.Arte por um canudo2

sonia disse...

realmente uma boa história. claro que o Einstein só podia ser peixes como eu.
beijinhos

antonio disse...

Ora viva!
O Zecatelhado, camarada destas lides da blogosfera, deseja para esta casa um fim de semana cheio de bons posts e demais coisas agradáveis.
Envia ainda
AQUELE abração amigo.

Zecatelhado

JesusRocks disse...

Reforçando uma correcção que já foi feita, e repondo a verdade histórica, Einstein nunca esteve directamente envolvido no desenvolvimento da Bomba Atómica. As suas pesquisas na área da energia nuclear tinham como objectivo o desenvolvimento de centrais nucleares para produção de energia eléctrica como as que conhecemos hoje. Já agora, para quem não sabe, as centrais nucleares modernas são a forma de produção de energia eléctrica com uma maior razão eficiência/poluição. São ecologicamente mais limpas que as centrais hidro-eléctricas, inclusivamente.

Presentemente fazem-se pesquisas sobre a fusão nuclear, tendo sido aprovada a construção da primeira central eléctrica de fusão nuclear do mundo (as actuais utilizam a fissão nuclear). Ainda não há consenso relativamente à localização pois o consórcio responsável pelo projecto de investigação envolve vários países da Europa e o Japão.

Esta nova geração de centrais nucleares terá uma eficiência consideravelmente superior às centrais de fissão, e constituirá uma fonte de energia praticamente infindável e 100% limpa. O processo de fusão, ao contrário do de fissão, é um processo recorrente na natureza; ocorre no interior das estrelas como o nosso Sol.

aflores disse...

Então?...andas tão ocupada com as eleições (já ganhaste, tem calma)que nem passas pelo meu cantinho para dar os parabéns. Faço "um anito caragu" ;) E falo lá da saltapocinhas, pois então :)

M.P. disse...

Olá... Venho desejar um BOM fim de semana e dizer que estive um pouco ausente dos comentários mas sem, contudo, te deixar de ler... A partir da próxima semana ´já tenho um pouco mais de oportunidade de vir deixar umas palavritas nos blogs que sempre visito! **

Dora disse...

O que eu tentei comentar aqui sem sucesso! Olha, esta linda lição de vida encantou-me! Hoje voltei a ler o texto, sempre com o mesmo gosto. Bom fim de semana :-)

lique disse...

Se a história é verdadeira, o senhor, além de ser um génio, podia ter dado um bom psicólogo! :) Beijinhos e bom fim de semana

Caldeira disse...

Faz-me lembrar a história do Nilton. Compra o livro e lê. Quem tem força de vontade não tem barreiras!