23 de março de 2005

Os dias mais tristes

Na passada quarta-feira, dia 16, a minha vida ficou em suspenso: a minha filha, grávida de sete meses, perdeu o bebé.
Ficou internada logo nesse dia, mas só na sexta-feira à noite foi, finalmente, feito o parto.
Não é preciso entrar em pormenores para perceberem como estes dias têm sido difíceis de ultrapassar. Principalmente para ela, mas toda a família sofreu com tamanha perda.
E eu, que sofri em duplicado: pela perda que ela sofreu e por a ver a sofrer tanto, sem nada poder fazer para a consolar...
O principal motivo que me leva a contar aqui um acontecimento tão íntimo da família (embora tenha hesitado bastante) foi o facto de ter concluído que o meu blog afinal não é um mero passatempo: é um autêntico diário, um local onde desabafo as tristezas e partilho as alegrias.
O outro motivo foi agradecer o carinho de todos os que me mandaram mails ou telefonaram.
Obrigada a todos!

28 comentários:

BlueShell disse...

Não ten de agradecer. Aqui fazemoa parte de um mundo de pessoas que se tornam amigas, riem e sofrem com as alegrias ou infelicdade dos que nos são amigos. Só lameto não poders enão poedir por vós em minhas orações. nada mais posso fazer..nem me atrevo a dizer mais nada pois eu não imagino sequer o enorme sofrimento pelo qual estais a passar. Eu, nós...estaremos AQUI!
Beijo, BShell

Anónimo disse...

Não sabia e por isso solidário com a tua tristeza.Lamento muito.Agostinho

MWoman disse...

Já me começavas a preocupar. Um beijo muito grande para ti.

MRF disse...

Com 7 meses de gravidez (às vezes, com algumas semanas) já somos muito "mamãs", e é mesmo muito doloroso! Fico sem palavras de consolo, as minhas filhas são pequenas, a gravidez e as ansiedades desse período ainda estão muito presentes. Lamento muito. E, sem conhecer o caso particular, espero apenas que muito em breve a sua filha possa voltar a engravidar (espero que ela não fique com medo) e que as alegrias futuras a façam ir aceitando aos poucos este momento tão triste. Um abraço para si. Às vezes percebemos que podemos muito pouco por aqueles que amamos e isso custa muito. Espero que os dias felizes regressem muito em breve.

Lyra disse...

Lamento! (O que é que se pode dizer em horas destas?)...Deixo-te um abraço.

Santos Passos disse...

Muitos beijos pra ti e tua filha.

aflores disse...

Respeitei o teu silêncio e percebi que algo tinha acontecido. Hoje, também em silêncio deixo um grande abraço.

Anónimo disse...

Apenas... UM BEIJO de partilha na tua perda! M.P.

Vilma disse...

Vim dar aqui pela curiosidade do nome:saltapocinhas! Tive um namorado que me chamava assim e achei engraçado encontrar este nome novamente. Li este post que me causou um pouco de tristeza... mas nesta hora as palavras não servem.. a sua presença sim!
Também faço do meu blogue uma espécie de diário e se sente esse desejo, vá em frente.
Outra coisa: temos o mesmo template!
Gostei de a visitar!

Didas disse...

Os momentos tristes são difíceis de ultrapassar mas os momentos felizes que se seguem servem para os compensar. Espero que todos vocês ainda venham a ter muitos, vêm com certeza.
Beijinho

Freddy disse...

Muita força da Zona Franca

Armando S. Sousa disse...

Tinha compreendido que algo grave se tinha passado. Esta situação é deveras díficil, as palavras costumam faltar nestes momentos, e quem é pai/mãe compreende bem o que estou a falar.
Receba um abraço solidário, extensivo a toda a sua família, neste vosso momento de dor.

Estrela do mar disse...

...ó amiga...lamento profundamente...nem sei o que dizer...nem me imagino a passar por isso...mas...tenham muita coragem neste momento tão dificil...e...fica aqui um abraço bem apertadinho...se quiseres o meu ombro amigo...já sabes...tá?...

Beijinhos para ti e principalmente para a tua filha.

Leonoretta disse...

O blog não é só passatempo, disseste tu. claro que não saltapocinhas, claro que não. linha puxa blog que puxa comentário e de repente existe um "fluído" que é um virtual real... e temos,não gente, pessoas, mas amigos.
imagino o que estás a passar. ponho-me na tua pele e......... meu deus!

Anónimo disse...

Minha amiga, sei o que isso é...pois há alguns anos atrás passei pelo mesmo, perder um bébé é algo que nos marca muito, muito mesmo. Muita força, animo e coragem, não só para ti, mas essencialmente para a tua filha. Um sentido xi coração para ambas Angelis (http://pedevento2004.blogs.sapo.pt)

Cakau disse...

Vim tarde aqui. Mas não é tarde para expressar o meu carinho, tristeza e silêncio. Não posso imaginar, nem consigo, a dor que ambas estão a passar. Mas certamente ultrapassa o horrível. Espero que possam ter todo o apoio e ajuda necessárias.

Sou pequena demais. Mas... espero que o tempo atenue a dor.

Um beijinho especial, para ambas.

Pekala disse...

Um beijinho e um abraço muito muito apertadinhos*

ven disse...

Só agora conheci o teu Blog, mas vendo o teor desta entrada, e, não podendo fazer mais, mando-vos um beijo de solidariedade.
O meu Avô paterno faleceu na 6ª feira, por isso, também estou de luto.
É a vida... Espero que vos corra tudo pelo melhor.

JesusRocks disse...

Desejo que ultrapassem essa fase complicada das vossas vidas e que voltem a encarar o futuro com um sorriso na cara e com esperança na alma.

Desejo também que a causa da fatalidade seja descoberta, compreendida e ultrapassada para que daqui a algum tempo possamos todos festejar um nascimento em vez de lamentarmos uma perda.

Coragem e pensamentos positivos. Rápidas melhoras para a tua filha. Uma família unida pelo amor e pela amizade transcende qualquer tragédia.

lique disse...

Cheguei tarde para te dar apoio na pior hora. Mas lamento muito e deixo-te aqui um beijo grande. E outro para a tua filha.

antonio disse...

Uma Páscoa Feliz e cheia de coisas doces é o que deseja o Zecatelhado à boa gente desta casa.

Um abração
Zecatelhado

Gracita disse...

De facto, e tal como quase todos os amigos referiram nos comentários anteriores, nos momentos como este, em situações quase esmagadoras da vida que nos transcendem, esbarramos com a pequenez das palavras... que, no fundo, revelam também a nossa fragilidade! No entanto, veio-me à memória, de imediato, um poema muito pequenino que um grande amigo de longa data costuma dizer quando algum dos seus amigos enfrenta um momento difícil.
Tenho muita pena de não saber quem é o autor, mas mesmo assim, em anonimato, acho que as palavras talvez acalentem um pouquinho o teu/vosso coração; por isso decidi oferecê-lo aqui, na esperança de que ajude a pôr um nadinha de bálsamo nessas feridas que doem tanto...

"Quando o teu sonho ruir
e tudo te parecer acabado...
Quando disseres não vale a pena
ainda sem teres começado...
Quando para ti o dia for noite,
por não poderes olhar o sol...
Quando tudo te parecer o fim,

Pára e vê
que ainda existe
a esperança, a confiança,
o princípio que não tem fim...

Basta olhar, sorrir, começar,
Pois começar é amar...

Um abraço muito, muito apertado!

Grilinha disse...

Só me resta desejar que este momento se apague rapidamente. Nós mães sofremos sempre a dobrar. Um beijinho grande para as duas com votos de esperança num futuro breve e risonho.

Seila disse...

Um beijinho para ti e tua filha! A Vida põe-nos à prova e dói! A minha solidariedade.

Anónimo disse...

Lágrima.
Lamento.
Sejam fortes.
Lamento.
Lágrima.
Mário

Amaral disse...

Aquilo que te pode consolar é a certeza que nada acontece por acontecer. Nada como o sofrimento ajuda mais na evolução de qualquer pessoa. O que parte o coração é a tua impotência, face a tudo o que acontece ao teu redor.
E qualquer palavrinha que te possamos dar é muito pouco para aquilo que necessitarias.
Resta-te a fé, a certeza de que Deus e o universo, a tua filha (a um outro nível de consciência) "escolheu" assim para "conhecer" aquilo que não conhecia!... Os mistérios desta vida só são misteriosos para quem não os entende. Mas uma parte de nós todos SABEMOS a razão por que tudo isto acontece assim!
Procura ficar em paz, transmite a tranquilidade para a tua filhota, sorri para a vida novamente, e ambas vão receber outras dádivas, para poderem criar coisas novas e encantadoras!

Menina_marota disse...

Lamentavelmente, não tenho conseguido entrar aqui e noutros locais. Nem conseguido comentar.
Por acaso, hoje lá insisti novamente e entrei no teu blog e deparo-me com esta notícia. Acredita que lamento muito. E, estou aqui para contribuir com o meu afecto e o meu apoio.

Deixo-te um abraço e para toda a família, em especial a tua filha.

Clitie disse...

É a primeira visita, li alguns dos post, um alegres outros menos...A minha mãe faleceu quando eu tinha 21 anos, de doença, foi dificil. Deixei de acreditar que há alguém que olha por nós e hoje com 30 anos, confesso que não mudei em nada o que pensava na altura. Mas vamos tomando consciencia e acabamos por nos conformar com as situações.

Que o futuro vos traga muitos sorrisos.