5 de fevereiro de 2006

Maomé e a minha casa

Nos últimos dias muito se tem falado e escrito acerca dos cartoons do Maomé.
O assunto não deixa de ser polémico, mesmo entre profissionais (ontem no "eixo do mal" ia havendo guerra entre os participantes!)

Como sou pouco culta em matéria de política e história das religiões,valho-me do senso comum. Que às vezes é mais útil que muitos conhecimentos empíricos:
Na minha casa só entra quem eu deixo entrar.
E quem entra na minha casa, tem de cumprir as regras cá do sítio!
E a mim cabe-me tratar bem as visitas: não me passaria pela cabeça convidar um amigo vegetariano e dar-lhe carne para almoçar!
Mas, do mesmo modo, as visitas também cumprem as regras da casa que visitam...

Agora é só substituir "casa" por "país" e pronto... as coisas têm de funcionar mais ou menos na mesma.
Os muçulmanos que vivem em países ocidentais têm de cumprir as suas leis e as suas regras, não deixando no entanto de ter também os seus direitos.
Mas se há discrepâncias entre os direitos de uns e de outros, acho que devem prevalecer os direitos dos "donos da casa".

Esses povos têm lá as suas leis (algumas terrivelmente machistas e inaceitáveis para nós) mas só têm de as cumprir lá na terra deles. No nosso país as mulheres só andam de cara tapada se quiserem (mas têm o direito de andar), assim como nós devíamos ter o direito de nos passear de calções e top em qualquer país do mundo ( e parece-me que não temos, pelo menos nos mais fanáticos!)

A um cartoonista dinamarquês deu-lhe para fazer uma caricatura do Maomé... E daí?
Tem todo o direito de o fazer!

Já os muçulmanos não têm o direito de andar por aí a fazer o que andam a fazer, fora do país deles.
Têm de respeitar o país que os acolhe!
Se acham que estão mal, que voltem para donde vieram!

O que me parece que está a acontecer (e que até mete um bocadinho de medo!) é que essa gente quer impôr o seu modo de vida a todo o mundo e isso não podemos permitir!
Em matéria de direitos humanos eles estão ainda na Idade Média!
Nós já por lá passámos, conta quem viveu nessa altura que não foi nada lindo de se ver e ninguém quer para lá voltar!
Livra!

11 comentários:

PN disse...

Talvez tudo venha do facto de eles não terem sentido de humor...

Zana disse...

Tudo é levado a ferro e fogo.
Concordo com vc!


bejinhos

Formiguinha disse...

Apoiadíssimo!

Eu disse...

assino por baixo (não me apetece escrever sobre isto, mas se escrevesse era isto tudo o que escreveria)

midas disse...

Parte essencial do problema surge da ignorância, da absurda ignorância, que temos dos rostos culturalmente distintos dos nossos.
Naturalmente que este é um trunfo demasiado fácil para os movimentos fundamentalistas, desnecessário. Não quero com isto dizer que os cartoons não deveriam ter sido publicados, mas este “nosso” mundo exageradamente mediático não permite que a informação se esgote de forma natural, porque a ambição da venda e da polémica da manipulação dos indivíduos assim o exige.
Lideres à procura de uma justificação para definir a situação, uma posição que satisfaça os seus e que de forma directa os afasta do “outro”, que se encontra sempre distante, aparentemente conhecido, o quanto baste, o suficiente para que nos possamos descrever como tolerantes. Tolerância essa que advêm de um suposto conhecimento. Fictício por sinal.
Mas a maior prova do desconhecimento cultural fica patente nas imagens de medo que transportamos das culturas que não se padronizam com a nossa. Olhamo-los com desconfiança quando estão por cá, e nem um pouco desejamos visitar os seus países de origem.
Puro preconceito, facilmente justificável na latente ignorância que nos invade e que em nada contribui para a fundação de uma sociedade melhor.
Por vezes revelamos não estar à altura da nossa própria criação.

polittikus disse...

Sem querer disses-te tudo. Prevalece os direitos do "dono da casa". Se as "nossas" mulheres têm de usar lenços, no páis deles para respeitar as suas tradições. Porque motivo se recusam eles a respeitar as nossas tradições...

Leonoretta disse...

deixo o raio do berco em paz, rsss
esqueces-te de ensianr os putos a ler, rsss
logo tu... eu tenho visto pelo blog dos golfinhos.

beijinhos da leonoreta

luis manuel disse...

Na questão da caricatura, o assunto é sério. Foram, e estarão a ser, cometidos actos de violência inadmissiveis.
Eu, modesta opinião, receio que seja um resfolegar dos últimos tempos, onde cedências pouco consistentes ou de significativo valor de um lado (com apoio sem escrúpulos do US) e o radicalismo vitorioso do outro, poderá impedir que se concretize a paz.
Mas que paz ? Países da região, tentam influenciar e provocar uma situação explosiva - Irão e Síria.
E que paz para os Palestinianos ? Mais uma vez ainda acabam bombos da festa.
E falar de Muçulmanos, de Maomé ? Não me parece justo
Comparativamente com as nossas sociedades ocidentais, admite-se um sem número de "abusos" ás figuras religiosas,santificadas e responsáveis eclesiásticos. Embora eu não ache piada ás anedotas exageradamente ridículas que muitas vezes se ouvem. No entanto, existem um sem número de alusões e até de festas chamadas populares, nas quais a religião Muçulmana não se revelaria. E, teremos que respeitar isso. Aliás o seu sentido religioso dár-nos-á (para quem se considerar participante numa outra fé religiosa-falemos neste caso do Cristianismo) algumas lições de compromisso.
Não é fácil encontrar uma pessoa a benzer-se em plena rua, parar para rezar em público, dar viva mostra da fé que vive.
Pelo contrário, o cumprimento das obrigações por parte dos Muçulmanos é rigorosamente cumprido.

Abrir as portas da nossa casa, é sinal de tolerãncia. Cada vez mais importante nos dias que correm. Torna-se importante dar a conhecer as nossas convicções e demonstrar o respeito que queremos exigir sobre elas, do mesmo modo como respeitamos as dos nossos próximos.

Reconheço dificil o apaziguamento de revoltas interiores, recalcadas à séculos.
Mas é uma obrigação de ambas as partes, senão nunca mais lá vamos.

Espero que surga alguém com voz suficientemente forte para impedir novos episódios.

ivan (aka bandinho) disse...

subscrevo na íntegra!

eco de mim disse...

é uma questão cultural, sem dúvida. é uma questão de respeito mútuo pelos devidos direitos, sem dúvida. mas, infelizmente, tb é uma questão política, sem sombra de dúvida alguma.
mais ainda as tão polémicas caricaturas SÓ agr criaram esta confusão, qdo, segundo consta, foram publicadas em Setembro... alg as aproveitou p/ gerar esta confusão... isto é um golpe, e o povinho está a ser utilizado da pior maneira possível p/gerar uma crise diplomática...

alyia disse...

resumindo: nós somos perfeitos e eles são todos umas cambadas de bestas!
ok ok...