12 de agosto de 2007

Miguel Torga


Fábula da fábula

Era uma vez
Uma fábula famosa,
Alimentícia
E moralizadora,
Que, em verso e prosa,
Toda gente
Inteligente,
Prudente
E sabedora
Repetia
Aos filhos,
Aos netos
E aos bisnetos.
À base duns insectos,
De que não vale a pena fixar o nome,
A fábula garantia
Que quem cantava
Morria
De fome.

E realmente...
Simplesmente,
Enquanto a fábula contava,
Um demônio secreto segredava
Ao ouvido secreto
De cada criatura
Que quem não cantava
Morria de fartura.

Comemora-se hoje o centenário do nascimento de Miguel Torga.
Gosto muito dos poemas dele, sem excepção.
Escolhi este porque é um dos meus favoritos e também porque este poema foi o meu primeiro post nesta aventura dos blogues...

10 comentários:

Fábula disse...

eu gosto de Miguel Torga e, sabe-se lá porquê ;), ADORO este poema...
**

Professorinha disse...

Poema muito bonito, e muito apropriado ao teu blog :)

Aprecio muito Miguel Torga, a primeira obra que li dele foi Os Bichos... (espero não estar a meter o pé na poça, estou a falar de memória...)

Beijos

Eskisito disse...

Torga...Rocha...o homem, o poeta, o médico...já não se fazem homens assim...(excepto obivamente eu, o professor, o blogger, o peixeiro)

SaltaPocinhas disse...

@@ fábula: bom gosto!

@@ professorinha: não meteste nada os pés na poça: os bichos é um excelente livro de torga!

@@ eskisito: peixeiro é o homem que vende peixe, tu és mais "embaleiro", acho eu! ;)

fernanda disse...

Tem a tua "cara"!! Agora vou ler para traz, que há mto não passava aqui (nem em lado nenhum....). Patrões fora.... Grande beijo (traz é com "z" ou com "s"???)

Didas disse...

Sou super super super fã do homem. Mainada!

aflores disse...

Adorei esta Fábula da fábula ;) E que me dizes à questão de o Governo não se fazer representar nas comemorações do referido centenário? :(:(:(

Pois...tivesse sido alguma festa oferecida pela mãe do Ronaldo ou de outro futebolista....ou mesmo inauguração de mais um troço de AE.

Enfim....

PN disse...

Eu gosto sobretudo dos contos. O "Miura" dos Bichos é a razão pela qual detesto touradas. Mas os livros de contos "Contos da Montanha" e "Novos Contos da Montanha" são os meus favoritos. Fortes, telúricos, serranos.

José António disse...

Conheço pouco o poeta, mas do que já li deu para perceber que atirava bem à perdiz e, para além disso, acertava em cheio, com um olhar "duro", nos "males dos Mundos". Gostei!

Anónimo disse...

São muito imucionantes