5 de maio de 2009

Alguém sabe o que é o "Estudo do Meio"?

A maior parte das pessoas sabe ou, pelo menos já ouviu falar porque tem, ou já teve, filhos na escola...
Mas o que eu queria mesmo perguntar era: alguém entende esse nome?
Ou melhor ainda: esse nome dirá alguma coisa às crianças entre os 5 e os 10 anos?

A minha querida ministra (e os outros todos que ficaram para trás, que aqui ela não está só...) em vez de passarem a vida a mexer no que não devem, deveriam mexer naquilo que é fundamental: os programas.

Às voltas com a planificação do 3.º período, esbarro no "Estudo do Meio" e nos seus conteúdos completamente disparatados.
Como se não bastasse o disparate do nome e dos assuntos escolhidos, também os manuais são péssimos, maçudos e cheios de erros.
No 3.º ano, por exemplo, têm de estudar freguesias, concelhos, distritos...
Isto numa altura em que eles nem sabem bem o que é um país!

Depois há os assuntos que realmente lhes interessam, que pertencem ao grupo das ciências (um nome bem mais interessante): os seres vivos, os astros, a germinação das plantas, a história de Portugal...
E o que eles adoram mesmo, a parte experimental, fica muitas vezes relegada para 2.º plano por causa da extensão do programa e, principalmente porque os manuais actuais não valem nada nessa área.

11 comentários:

ameixa seca disse...

Infelizmente, acho que é assim desde a minha altura e até de antes. Não há espaço para a prática... depois, a teoria massuda, desmotiva e com razão!

Bea disse...

Bem... sem comentários e então no 3º ano!!!!
É de fugir, e ano após ano, após década tudo continua na mesma! Só quem como nós, estamos dentro dos programas e da forma como temos de os trabalhar sabe o desespero que são! Desactualizados, obsoletos, patéticos. Como tudo neste país.
bjs

O Micróbio II disse...

"No 3.º ano, por exemplo, têm de estudar freguesias, concelhos, distritos... Isto numa altura em que eles nem sabem bem o que é um país!"... E como não sabem nem vale a pena explicar... sim, senhor! Que argumento!!! Não vale a pena explicar a importância dos poderes locais e muito menos explicar como está organizado um país...

Angel disse...

Nota-se que o Micróbio NÃO ESTÁ ligado à área da educação, pois se estivesse, ñ falaria dessa forma... Os alunos ñ sabem as coisas mais básicas como escrever bem e fazer contas ou a tabuada, pra q raio é necessário enchê-los de nomes de freguesias e concelhos?! Pra ver o seu poder de memória?...

entremares disse...

Quando os alunos do 10º ano não sabem localizar num planisfério o seu próprio país, eu pergunto:

Então no 3º ano já estamos a detectar estes problemas, e qual a reacção ?
Vamos descobrir o que correu mal no 2º ano ?
Pronto, vamos a isso.
E no 1º ano ? O que se deveria ensinar ?
Alguém que se decida, de uma vez por todas.
Ou é preciso voltar a pegar nos manuais da antiga escola primária de há 40 anos e voltar a aplicá-los no século XXI?

anna disse...

És o máximo a levantar questões deste tipo... não sabes o quanto concordo com muitas das tuas opiniões, esta incluída.
Beijinhos.

Saltapocinhas disse...

Micróbio: vais ter de assistir a umas aulas de português para fazeres uma reciclagem... (nas novas oportunidades, por exemplo...)
Eu não disse que não dava essa matéria, apenas acho que não deve ser dada a crianças tão pequenas que ainda nem têm a noção do que é um país.
Há assuntos que eles entendem melhor, que são mais apropriados às idades deles (como por exemplo actividades experimentais) e depois não há tempo porque perdemos tempo com coisas que não interessam!!

Entremares: no 10.º ano, já deviam saber isso... Aliás, até na primária já o sabem.
O que está errado nos programas é a sua estrutura, a sequência e a escolha de temas adequados à idade das crianças!

mfc disse...

O estudo do MEIO tem a ver com o sexo?!

Blumen disse...

Olá Saltapocinhas....É o País que temos!..Vamos esperar que tudo melhore um dia, que os filhos de nossos filhos, netos, bisnetos e por aí fora,desfrutem dum Portugal melhor que este que hoje temos!...Tenhamos um pouco de FÉ! Pode ser que ainda surja alguém que endireite este nosso cantinho florido nesta Europa, onde estamos inseridos! Beijinhos.

Lucinda disse...

E pensar que deveríamos fazer com os pequenos duas horas e meia de actividade experimental,por semana! Onde conseguir enfiar tanta coisa?

Lucinda disse...

Só mais uma. Há coisas que quem não as sabe no 10º ano ou é deficiente ou desinteressado. Nem tudo se aprende na escola, muito do que sabemos a escola só nos deu os meios para o aprendermos, o resto fica por nossa conta. Qualquer dia, até culpam a escola pela crise e pela gravidez na adolescência. Coitadinhos, são tão ingénuos.
Não me acho muito esperta, mas não foi na escola que eu aprendi nem o que era uma freguesia nem como evitar uma gravidez.