21 de maio de 2009

Antes tarde que nunca, e eu não podia deixar de meter a colherada

apesar de saber que os blogs são como os jornais: perdem a validade num instante.
Por isso, e porque não tenho tido tempo (reuniões, fichas para fazer, outras para corrigir e - ainda por cima! - alunos na sala!), não falei do assunto na berra: a professora de Espinho.

Também eu me escandalizei: escandalizei-me principalmente por haver uma professora da área de letras, e ainda para mais cheia de mestrados e pós graduações e não sei mais o quê, dizer "no que tu te metestes" em vez de "meteste" e "amiguíssimos".
Erros de palmatória, que nem aos meus pequeninos eu desculpo!

Quanto ao assunto propriamente dito, só dois apontamentos (gosto desta palavra!!):
1.º - não caiam na asneira de generalizar, porque uma andorinha não faz a Primavera, ou... deixem-me-ouvir-a-gravação-de-toda-a-aula.
2.º (dedicada aos amigos da ministra e desta avaliação) - esta professora, com o curriculum que tem, deve estar no papel de avaliadora e não de avaliada!!
Nesta divisão da carreira dos professores, foram beneficiados os que deixaram de dar aulas para poderem "enriquecer-se" com cursos e mais cursos...

6 comentários:

Emiele disse...

Eu também insisti na tecla de que se não pode generalizar.
Contudo, Saltapocinhas, o que disse no meu blog e insisto nisso, talvez o que mais me chocou foi ver usar o argumento «eu é que faço os testes e portanto tenham cuidadinho que nem sabem com quem se estão a meter». Não encontro nenhuma justificação para essa ameaça. Se há mau comportamento, deverá haver castigos na área do comportamento - expulsão da aula, repreensão, queixa aos superiores, etc, mas não ameaça de más notas no aproveitamento escolar.

ameixa seca disse...

Está a ver que não metias a colherada :) Confesso que, como portuguesa, me senti insultada pelos erros que ela proferiu daquela boca tão mestrada, doutorada e frustrada (foi o que me pareceu)!
Para ser sincera, sempre tive professores (até na faculdade) que diziam cada coisa que até o Camões devia dar voltas na sepultura!

Saltapocinhas disse...

Eu não culpo totalmente a professora: falta o resto da aula.
Mas, mesmo fora do contexto, é muito grave o que se passou ali.
Não podemos esquecer que grave é também a atitude das meninas de gravarem uma aula: grave e criminoso.

Saltapocinhas disse...

E ameixa há professores muito ignorantes, assim como há ignorantes em todas as profissões...
Só que muitos deles estão no topo da carreira!
(como tu és novinha e estudaste há pouco tempo, seria giro veres onde estão inseridos esses teus professores!)

Castanha Pilada disse...

Parece-me que duma forma geral ninguém tomou a parte pelo todo. A gaja é uma doida. E na classe dos professores também há doidos varridos, como em todas...

Bea disse...

Desculpem lá... mas mesmo depois de ouvir a gravação toda, a que já se ouviu nãodesculpa esta profissional. Tudo o que diz é grosseiro, fala de sexo com grosseria, retorna á aula de romanos para falar de orgias, ameça com "vou-te fazer a ficha..."
Desculpem lá, só porque é professora não pode ser má profissional? Quer dizer que só há bons professores? Deus me livre de ter filhos com professores destes (que sim, eu conheço também)...Posso ser radical, mas temos de pensar que muitas vezes os alunos também sofrem nas mãos dos professores...