20 de novembro de 2009

Até que enfim!

Parece que é definitivo e a carreira de professores dividida em duas categorias vai mesmo acabar...

Era este o busílis da questão e não a avaliação, como todos - ministra, jornalistas mal informados, 2 ou 3 comentadores iluminados - queriam fazer crer para pôr a opinião pública contra os professores.

Nenhum professor aceitou esta divisão da carreira, nem mesmo os que se viram assim "promovidos". A ministra contava que, pelo menos estes, a apoiassem, mas não: os professores mostraram ser uma classe unida (ao contrário do que até os próprios pensavam!).

Em pleno Outono, parece que se aproxima uma nova Primavera...
Já não era sem tempo!

7 comentários:

Emiele disse...

Também acredito que se troquem as Estações e se aproxime a Primavera. Uff..

aflores disse...

Faço "copy past" do comentário que fiz no blog do Agostinho:

Esperemos que esta "mudança", não resulte no final, no habitual "vira o disco e toca o mesmo".

Pelo menos, fica a sensação de uma maior abertura e disponibilidade para o diálogo. Estou certo ou será só "impressão"?

Grande abraço.

Tudo de bom

ameixa seca disse...

Não há mal que sempre dure :)

arte por um canudo 2 disse...

Diálogo e mais abertura para resolver a situação também parece que existe. Só falta mesmo o preto no branco. Esperança vamos tendo. Abraço

José António disse...

Que optimismo!

Didas disse...

E entretanto a educação continua a merda de sempre, os putos continuam a sair da escola sem saber ler nem escrever, os tipos que não estão interessados em nada a não ser chatear quem está continuam a ir à escola e a passar de ano... e a gente não sabe o que fazer aos filhos. Ainda ontem à noite por acaso houve um debate muito interessante (e sério) sobre estas matérias na televisão. Não sei se viste.

Saltapocinhas disse...

Não, não vi... :(

Mas tens toda a razão: a educação não está bem. Só que, quem ainda se "aproveita" neste reino são os professores, e foram estes e apenas estes que a ex-ministra atacou.
É preciso com urgência mexer nos programas, que não têm ponta por onde se lhes pegue e também no estatuto do aluno.
Ou achas que passar alunos que não sabem ler nem escrever é culpa dos professores??