28 de abril de 2005

Horários novos!

Quando ontem cheguei a casa, por volta das 19 horas, a queixar-me de cansaço, o meu marido disse-me: "Ó mulher não te preocupes que ouvi há bocado na rádio que as escolas vão passar a funcionar até às 17:30. Vais começar a sair mais cedo!"

Vim logo ao computador saber pormenores e foi então que li a notícia das escolas passarem a estar "abertas" mais duas horas e meia. Esse tempo será para aulas de Matemática, Estudo Acompanhado, Inglês e Desporto!
Ainda estava de boca aberta a olhar para o computador quando aparece a ministra na televisão a dizer que essas actividades podem ser orientadas até por auxiliares (!!!!!!!!!!!!!!!!).
Por outro lado fala-se numa maior e melhor formação inicial dos professores e de formação para os que já trabalham... Mas então qual é a lógica disto?
Muita confusão e muita "pata na argola" é o que me parece por enquanto!
Certo certo é que o ensino vai mal, algumas coisas vão ter de mudar, mas não me parece que este seja o caminho.
Por variadíssimas razões, a primeira das quais é que grande parte das escolas não têm condições nem para as aulas normais...
Se a minha escola está ocupada com aulas desde as 8 da manhã até às 18:15, se tem apenas duas salas, vão fazer as actividades onde? E quando?
Nas escolas de regime normal, o alargamento de horário vai ser feito à custa de quem, uma vez que "professores de apoio" é coisa que não existe, é tipo extra terrestre: já toda a gente viu um, mas ninguém o consegue provar...
Depois também fiquei um bocado baralhada com o "curricular" e o "extra curricular": para mim tudo o que se faz na escola, até as brincadeiras do recreio, são curriculares.

E ninguém pensou nas crianças?
Numa altura em que se fala tanto em reduzir os horários de toda a gente querem pôr crianças que entram para a escola com 5 anos a trabalhar sete horas e meia por dia? Não é um exagero?
Eu sei que nas cidades elas acabam por sair da escola e ir para "tempos livres" que também não costumam ser nada bons, mas pelo menos mudam de ambiente, de actividade, de colegas...
Nas escolas de aldeia a maior parte das crianças vão para casa (de pais ou avós) e esse tempo de descanso ou mudança de actividade é precioso para a sua formação como pessoas.

A notícia é recente, eu tenho um acordar péssimo, por isso logo à noite ou amanhã volto ao assunto com as ideias mais organizadinhas.
É que ficou ainda muito por dizer...

10 comentários:

Ideiafixe disse...

Pois...
1º Ciclo certo?
E os que têm só aulas de manhã ou só à tarde?
Que as salas estão ocupadas por outras turmas entretanto... Têm a extensão na recreio?!...

É o desejo de mostrar serviço sem ter a noção da realidade... :(

Paulo Lopes disse...

"Depois também fiquei um bocado baralhada com o "curricular" e o "extra curricular": para mim tudo o que se faz na escola, até as brincadeiras do recreio, são curriculares.". Esta ideia é de uma lucidez tremenda. Benvinda ao grupo... :-)

Betty Branco Martins disse...

Bom... com tudo isto, começo a pensar que para "vocês" professores existe uma realidade diferente, de todas as outras coisas! Eu não sou professora, mas sou uma pessoa atenta ao que se passa. Visto que os professores são pessoas (ou não!)ou será que "ELES" pensam que vocês são criaturinhas azuis, de um só olho na testa, cheios de anteninhas com luzinhas nas pontas! vindos de um outro planeta qualquer!

Um beijo

Varela de Freitas disse...

Nem sabes a alegria que me dás com esta frase: "para mim tudo o que se faz na escola, até as brincadeiras do recreio, são curriculares". Há trinta anos que ando a dizer isso e é consolador que uma professora o diga. Bom, não é surpresa, porque quem dinamiza os Golfinhos nao podia ter ideias tolas. Quanto ao resto, é preciso esperar para ver. Mas as ideias expostas não são todas más. Decerto vais ter ocasião de ler o que escrevi a propósito deste tema.

Anónimo disse...

Havia uma musica de um programa de tv antigo... com o Breyner e o Herman... "Assim vai este país..." nanan nananan...
É como o PCP, diz/dizia mudam as moscas...

Beijos

Partilhas

Paulo Lopes disse...

Vês? Saltapocinhas? O Varela também concorda comigo. Esta noção de curriculo abrangente não é lá muito partilhada por muita gente. Pois se até o discurso oficial ainda fala em "extracurricular". Fazes parte de um grupo não muito extenso ao pensar assim. Eu farto-me de dizer isso aos meus alunos. Esta noção abrangente implica/tem como consequência uma noção de professor, de profissão docente, de "profissionalidade" consentânea... és uma lufada de ar fresco. Quem me dera que mais gente tivesse esta noção de mentalidade curricular...

M.P. disse...

Concordo com o que criticas... Eu também fiquei pasmada com esta decisão assim tão "de repente"! E depois? Como vai ser? Será maneira de dar mais trabalho aos que ficam dde fora dos concursos? E ... E...? Tantas perguntas no ar ! **

Bárbara Vale-Frias disse...

Saltapocinhas!!! Também és professora? :)

Eu tenho estado um pouco desviada destas questões pois estou há cerca de 6 anos numa escola profissional que tem algumas normas próprias e onde tenho até alguma flexibilidade e autonomia para "trabalhar" os currículos. Só para entenderes melhor, nós não temos manuais. Cada professor elabora a sua sebenta de acordo com os descritivos curriculares. A meu ver, é melhor; mas dá mais trabalho.

Deixo só uma pergunta no ar: esse Estudo Acompanhado tem dado resultados? Pergunto isto porque não temos essa disciplina...

SaltaPocinhas disse...

@@ COKAS: DEsculpa, mas só hoje vi o teu comentário e a tua pergunta. "Estudo acompanhado" pago para quem me explicar o que é. No 2.º ciclo sei: os alunos vão para uma sala com um professor de qualquer coisa e normalmente fazem os TPC. No 1.º ciclo não sei o que é..

Leonoretta disse...

Saltapocinhas
também ando em pânico com o alargamento do horário na escola. não em relação ao facto de termos de prestar a componente lectiva depois do horário das aulas porque é prática nalgumas escolas mas será que somos nós os professores regulares que temos de prestar o tal apoio a matemática e afins?
não pode ser...