16 de dezembro de 2005

Já passou o Natal?

Ao fim de alguns dias sem escrever, consigo notar bem a diferença entre "publicar" e "escrever". Um blog onde apenas se "publica" perde o interesse, fica sem "cara", perde a piada...
Só não apago as "cartas àquele personagem" por respeito a quem comentou, senão apagava tudo!

Muito trabalho (resmas, pilhas dele), reuniões, avaliações, relatórios, projectos e sei lá mais o quê, tiraram-me o tempo de andar por aqui e vão tirar ainda por mais uns dias...
Daí a inflação de cartas ao Pai Natal, que, conforme terão entendido os mais perspicazes, não é o meu personagem favorito.

"No meu tempo" era ao Menino Jesus que se pediam as prendas (poucas mas tão desejadas) que abrangiam apenas a criançada e não havia este consumismo desenfreado, esta corrida doida às lojas que me põe os cabelos em pé só de pensar que amanhã tenho de ir ao hiper fazer as compras básicas e à minha frente só vejo enfeites de natal, música de Natal, felicitações de Natal...
Tirem-me deste filme!

13 comentários:

lique disse...

Até eu escrevi uma carta ao Pai Natal! :))
Vou fazer uma pausa durante as Festas. Do coração desejo-te um Feliz Natal e um óptimo ano de 2006. Beijinhos.

luis manuel disse...

É verdade.
Eu também me atrevo a reforçar essa intenção. São cartas cuja resposta não será do Pai Natal - de certeza absoluta.
Acredito que esta minha opinião será permitida e sobretudo compreendida.

Que a época actual oferece indiscriminadamente apelos ao consumismo... é realidade.
Mas não será por culpa do Pai Natal e muito menos do Menino Jesus.
O essencial, celebrar o nascimento de Cristo, pode e deve revestir-se de uma festa.
Festa para a qual somos todos convidados, em pé de igualdade.
Tal como o amigo, o irmão, o marido ou a mulher, os filhos, os avós ou os pais, também o Pai Natal e sobretudo o Menino Jesus nos convidam.
E nessa oportunidade que temos, existe a possibilidade de mostrar o verdadeiro espírito de Natal.
Aquele que acertadamente desejamos o ano inteiro : Fraternidade e Igualdade.

Aceitar o imaginário das crianças sobre o Pai Natal, criando uma personagem terna e acolhedora, amiga de todas as crianças, promoverá um sentimento de justiça e bondade.
Afinal, é uma figura que acaba por perder com a idade a sua magia, ao contrário do Menino Jesus que permanece vivo - para quem o aceite.

Desejo profundamente um Santo Natal para a família.
E que o Pai Natal continue a descer pela chaminé da vossa casa.

mixtu disse...

Volta Menino Jesus, estás perdoado... :))

Miguel disse...

Então, tanta irritação para quê? Não vale a pena...
Há que saborear o espírito natalício, ouvir as bonitas músicas de Natal, ver aqueles filmes onde impera a bondade e aproveitar estes momentos para fazer o bem e, assim, sentir-mo-nos ainda melhor...
O trabalho lá se vai fazendo...

mixtu disse...

Más novas, não te vou tirar deste filme como te dou um papel para desempenhares nele... :)))
O Título do filme: "Tirem-me deste filme."

Sou o Eco de mim mesma! disse...

é este o problema do Natal, o consumismo, a obrigação de comprar. pq é q ñ oferecemos prendas qdo nos apetece, pq é q tem de haver um Dia Mundial de Oferecer Prendas=Dia de Natal? e pq é q todos criticamos, mas todos entramos no jogo? é uma tortura entrar nessa roda-viva, mas ñ deixamos de fazer.
pior ainda são os pensamentos: se comprei p'rá Maria, tenho q comprar p'rà Manela, elas são amigas e se uma recebe e a outra ñ.... detesto isto...viva o Ntal! ;)

Zecatelhado disse...

Eh, eh,eh,! estamos em sintonia perfeita no que a este capítulo diz respeito. Apesar de tudo, e
antes da tradicional pausa para a quadra Natalícia, queria enviar-te os meus votos de um SANTO E FELIZ NATAL.
Que tudo o que sonhas se realize.

Aquele @bração do
Zecatelhado

mixtu disse...

Parabéns pelo comentário no Populo, transformado em Post.
cumprimentos

angelis disse...

Tem paciência minha amiga, pois de trabalho estamos cheias...mas esta época´ é assim mesmo. Deixo aqui, sincera e de coração, os meus votos de um Natal pleno de Paz e Amor e que o Novo Ano traga muitas alegrias.

Leonoretta disse...

tu sabes que eu sempre disse que se trabalhassemos juntas seriamos uma grande equipa.

a tua foto de menina está o maximo.

ja ha muito tempo que nao visito os golfinhos, coitadinhos. tambem eu ando as voltas entretida a dar maus e a falar o pior que posso acerca dos meninos, rsssssss

é para verem o que é bom para a tosse.

beijinhos da leonoreta

afigaro disse...

Por ser "época" de Natal não comento.
O ser humano tem o ano todo para ser solidário.

Kalinka disse...

Ahhh, pois é, esta expressão:
"No meu tempo" é tantas vezes pronunciada e da minha boca sempre c/um grande prazer, pois realmente foram os melhores Natais da minha vida, os da infância e princípio da adolescência...
Tens toda a razão:era ao Menino Jesus que se pediam as prendas (poucas mas tão desejadas) que abrangiam apenas a criançada e não havia este consumismo desenfreado, esta corrida doida às lojas que me põe os cabelos em pé...daí k comece a fazer algumas das compras de Natal logo em Setembro, para ñ chegar a este momento completamente arrasada e conseguir algum tempo para mim...
Tirem-me deste filme!

aflores disse...

Mais uma vez "cheia de razão" quando falas do publicar/escrever:):) Subscrevo a tua opinião.