7 de março de 2006

Os aliens, perdão, finlandeses

A Emiele publica um cartoon elucidativo acerca dos finlandeses.
Ontem ouvi qualquer coisa na televisão acerca deste povo que tem um nível de vida superior ao da média europeia, pagam altos impostos e não refilam, enfim, são exemplares. Isto apesar de há poucos anos atrás aquando do desmantelamento da URSS terem ficado sem o seu maior importador.
Não ficaram a chorar pelo leite derramado: viraram-se para as tecnologias e criaram a Nokia.
De que estamos nós à espera para fazer o mesmo?
Os bons exemplos são para serem copiados...
Não podemos fazer grandes indústrias, não temos petróleo, mas temos grandes cabeças e a indústria tecnológica não exige grandes fábricas, só grandes ideias.

Ouvi de raspão o nosso primeiro ministro quando ele visitava uma escola e consegui fixar os números: há aulas de substituição, mas também há 400 alunos para 37 professores. Se a Matemática não me falha, isto dá cerca de 10 alunos por professor...
E aqui quantos são?
Isto para não falar nas instalações daquela escola!...

12 comentários:

Didas disse...

invejosaaaaaaaaaaaaaa!!!

Lyra disse...

e fica tudo a olhar a pensar que nunca conseguiremos, nunca vamos poder, nunca isto, nunca aquilo. somos demasiado derrotistas, uns falhados logo a partida quando dizemos "não conseguimos", em vez de dizermos "talvez seja dificil mas vamos a isso! vamos tentar" ou não fosse este o pais do fado...

mixtu disse...

e colega a formação na finlândia que não é só nokia, começou pelo Topo e depois aos colaboradores...
jinhos

afigaro disse...

Não vale a pena remar contra a maré! Os professores vão conseguir sair do estado corporativista...e muitos já entenderma que a hora é de mudança.Vale mais tarde do que nunca.

anabela romba disse...

Pensei precisamente a mesma coisa.

Anónimo disse...

pensei a mesma coisa, por isso pensei também que é preciso ter uma grande lata, ou então pensar que a estupidez cresce por este lado de cá.

Anónimo disse...

Os portugas são um nojo e por este andar nem a desculpa de serem bons velejantes os safa de não teremos barcos capazes. Modornizemo-nos, capacideremo-nos!! sejamos realistas, com begueiros não vamos a lado nenhum. (off record: diga ao menos oi). salut... viva portugal de aqyuém e além mar. kisses

Anónimo disse...

puxa... agora os anónimos entram logo numa boa? nem se identificam para registo de opinião? tá... olha... a dos portugas fui eu ... o mário bjos

SaltaPocinhas disse...

@@ MARIO: Não posso concordar contigo quando dizes "Os portugas são um nojo". Eu sou portuguesa e não sou um nojo. Acredito que tu também não o sejas. Posso concordar se disseres que temos tido uns governos um bocado nojentos. Nojentos no aspecto de pensarem primeiro em tratar da sua vidinha e o país vem depois de houver tempo e pachorra. Apesar de me fartar aqui de barafustar e de não concordar com tudo o que este governo tem feito, tem pelo menos mostrado coragem e andado a mexer onde nunca ninguém tinha tido coragem de o fazer. Em relação aos anónimos, este é um blog pacífico, deixo entrar toda a gente. E olha que, sem ser spam NUNCA apaguei nenhum comentário. O pessoal que frequenta este blog tem nível!! :-))

Emiéle disse...

Olá, e olha que o cartoon roubei-o ao Público, mas realmente achei-lhe graça. (digo isto porque também mo podias "roubar" na maior)
Tenho a ideia de que nós precisamos de um abanão. Não consigo entender porquê, também é verdade que não sou socióloga, mas temos muito a ideia de que as coisas nos devem cair do céu já organizadas.
Não me sinto nada um nojo. E até sei que quando saímos "lá para fóra" fazemos boa figura ( nem vale a pena fazer a lista de portugueses que se distinguem em tantas áreas) portanto creio bem que o erro não está no português anónimo mas de quem planeia o desenvolvimento desta terra.
Talvez os filandeses não se importassem de fazer aqui uns workshops? para dirigentes, é claro.

Arte por um Canudo 2 disse...

Não interessa pelo menos na educação dizer o que estás a dizer, porque senão aparecem aí os criticos a falarem que poucos alunos "são regalias" e isso é o que os profs portugueses queriam. "Neste dia internacional da mulher, dia em que tinha que me associar, deixo-te um post como homenagem, e ofereço-te uma flor".Bjs.

afigaro disse...

Descansem um pouco! Critiquem!Mas uma mão cheia de ideias velhas, é sempre perigosa. Leva todas as capacidades da pessoa! O poeta diz:" não há machado que corte a raiz ao pensamento".
De lamúrias está o mundo cheio. E nos "arquitectos" da educação está muito boa gente.Acredito!Então porque não redescobrir novas fórmulas de exercer o papel de pedagogo? Formulo um convite: uma visita ao filósofo grego Sócrates. "Conhece-te a ti mesmo".Haja uma proliferação de ideias novas.