17 de setembro de 2006

A (famosa) Finlândia e a educação

"No meu país todos têm direito a uma educação básica gratuita, que inclui o equipamento necessário e os livros escolares, transporte, se for preciso, serviços de saúde e refeições."
Antti Kalliomäki, Ministro da Educação e da Ciência da Finlândia

Lá as crianças entram para a escola só aos 7 anos, não bebés de 5 como acontece cá...
Antes da entrada na escola fazem 1 ano de pré onde adquirem noções básicas, que lhes permitirão ter sucesso num ano tão exigente como é o primeiro ano de escolaridade.
Também ao contrário de cá, onde já pouco falta para as crianças dormirem na escola (este ano há escolas onde as crianças permanecerão 10 horas!!), lá dos 7 aos 12 nunca passam mais que 4 (quatro!!) horas por dia na escola!
E os pais e mães que trabalham? (sim, que isso de trabalhar fora não é monopólio nosso)
Para esses casos há estruturas organizadas e asseguradas pelas autarquias.
Esses espaços não são no espaço escolar nem na linha do trabalho escolar.

E pergunto eu, que sou de compreensão lenta:
se por cá se gosta tanto de imitar o que vem de fora, porque não copiamos os bons exemplos?

(Entrevista e opiniões várias na Notícias Magazine de hoje, a não perder para quem se interessa por estes assuntos, que afinal dizem respeito a todos).

7 comentários:

Barão da Tróia II disse...

Simples, porque somos governados por ineptos incapazes que só copiam o fauro e os disparates. Boa semana

PN disse...

Só para deixar 1 recadinho à senhora professora: ponha os golfinhos a trabalhar no blogue, se faz favor, caso contrário não merecem a referência que vai sair no Diário de Aveiro em princípio na próxima 4.ª feira. ;)

SaltaPocinhas disse...

PN As aulas só começaram hoje, não houve tempo ainda. Amanhã talvez escrevam alguma coisa. Se não escreverem não podes adiar para a próxima quarta?
É que não tem mesmo piada nenhuma publicitares o blog enquanto ele está parado!!

Emiéle disse...

Saltapocinhas, não é só a Educação, é todo o equipamento social que está a anos-luz de uma terra dessas. Aquilo são países onde uma pol+itica social existe mesmo, e não este «faz-de-conta» de cá, sobretudo ultimamente onde parecem apostados em destruir o que ainda tinha resistido.

Carla Silva disse...

Pelo que me parece nós gostamos de imitar os maus exemplos e não os bons.
Beijinhos e uma boa semana.

Hindy disse...

Só se fala na Finlândia para criticar a nossa educação, mas como bem dizes, o governo não cria condições para as coisas funcionaram como lá...enfim!

Um beijinho "hindyado"!

AnaCristina disse...

Não sabia, mas acredito piamente da educação finlandesa. Pena é que o nosso país seja governado por meninos que tiveram negativas várias ao longo da escolaridade... E ainda por cima sejam mal-formados e mentirosos.
Um beijo