14 de setembro de 2006

O povo (ainda) é quem mais ordena!

Na minha escola as aulas eram para ter começado hoje, mas não começaram.
É que ontem, na reunião de pais, quando estes viram que as obras que deviam estar prontas, ainda mal tinham começado, decidiram não mandar os filhos à escola como forma de pressionar.
Eu não aprecio muito estas atitudes radicais, mas não posso obrigar os pais a mandarem os filhos para uma escola em obras, com uma sala a menos e a cantina, que a ministra tanto apregoa que é para todos, por fazer!

Hoje pude comprovar que os pais tinham razão: apareceram trabalhadores, apareceu material, apareceu tudo!
E as obras começaram a andar a bom ritmo!

Será que neste país as coisas só funcionam se for assim?

12 comentários:

Farpas disse...

Infelizmente se calhar só se começa a fazer realmente alguma coisa quando se fazem ultimatos... mas olha, menos mal quando realmente resultam!

josé Palmeiro disse...

Às vezes, senão sempre, um "radicalismo" aplicado a tempo, isto é, no ponto vital, dá sempre resultado. Esta ministra. ou lá o que ela é, só vai assim, ou então, rua com ela e com o resto da companhia!

bell disse...

Infelizmente os pais têm mais força que nós professores.

Hindy disse...

Umas vezes sim, outras nem com medidas dessas!

Um beijinho "hindyado"!

Miguel Pinto disse...

Aproveito para dar os parabéns aos pais dos teus alunos :)

ana disse...

Isso é que é, não há povo nem profs que se acomparem! )****Olha cá vou sobrevivendo...

CHUSSA disse...

A iminência de um escândalo resolve tudo (por enquanto!!!)

À parte:
No outro dia fui visitar a minha prima ao hospital (apendicite aguda!!!) e decidi comprar uma florzinha pelo caminho!!
Ao entrar na florista deparei com uma amiga do secundário a atender! Sabendo eu que ela possuia uma loja do ramo exclamei: “M., como vais? Não sabia que esta florista era tua!”
Ooopppppppppsssssssss!!! Soou tão mal!!!!!
Mas não sei como é a maneira correcta de dizer!!! (sem ser: “loja” ou “estabelecimento”...).
Será que a amiga saltapocinhas me poderia ajudar??!!!
Beijinhos

Carla Silva disse...

Se calhar esse ultimato foi útil, pois as obras decerto que vão acabar mais depressa.
Beijinhos e um bom fim-de-semana.

Ines disse...

Mas mostra que o poder não está só do lado de lá!
A mim... parece-me bem!

miguel disse...

Pois é!
Talvez tenhas razão!
Beijos,
Miguel

luis manuel disse...

Era bom... e não acabou !
Ainda encontrei um resto de bolo - ressequido compreensivelmente, mas que ainda se apresentava bom (de aspecto !!)
Com um considerável, mas sempre perdoável atraso, ofereço com muita alegria os meus parabéns.
E se as férias acabaram, outras actividades começaram. E, fazendo relembrar uma qualquer aventura do Harry Potter, eis que surgem as "varinhas mágicas", apesar de neste caso serem apenas para triturar os desânimos e revoltas, que pelos vistos o "sorteio" causou.
A minha sobrinha - de Aveiro (professora do secundário à vários anos) estava colocada em Pombal. Agora foi para Porto de Mós, um pouco mais distante... do marido que continua a lecionar em Ilhavo.
Não me adianto em comentários, porque não conversei com ela desde que soube e não acompanhei esta situação.
Vinte e três minutos ...? Só !! percebo que não te tenhas apercebido das horas !! horas, sim !! que outros programas ocuparam com o futebol, das selecções. Ou melhor, da chamada selecção principal.
Eu gosto muito de futebol, vejo quando posso. E quando posso, altero algumas tarefas para isso. E quando o posso fazer (poucas vezes) sai-me um prémio tipo "varinha mágica". O dito jogo não presta e até faz sono. Por isso, chateia-me tanto conversar, badalar, intrigar (nem sei que mais chamar) sobre a "futebolândia". Bastava o jogo, mais uns comentários sérios no final, e ficaríamos muito mais aliviados fosse qual fosse o resultado ou as técnicas e desportivas do mesmo.
"Um desafio para a profissão docente do século XXI" ... pois, o senhor Ben, até acrescentou no último parágrafo aquilo que muitos já nem leêm. Ou seja, o referencial de base para essa posição no ranking.
Falta saber é se a linha que imagináriamente faz a divisão entre os bem pagos e os mal pagos, se apresenta numa escala - meio cheia ou meio vazia ?!!?
Passo... nas palavras proibidas. (acredito que vocês não as usam!)
Mudam...? Claro ! É assim : "ligou para a linha de telefónica de apoio ....! Se foi enxuvalhada(o) maltratatada(o) verbalmente marque 1; se foi enxuvalhada(o) maltratatada(o) fisicamente marque 2; se recebeu assistência médica e deseja obter reembolso de despesas marque 3; se deu uma estalada ou ralhou com uma menina ou menino marque 4; se recebeu ameças do pai ou da mãe marque 5; se já é sócia(o) da nossa Associação marque 6; se deseja ser atendida(o) por um assistente marque 9 e espere...
Em muitas situações, todos nós - quantas e quantas vezes, devemos dizer - todos nós; parece que andamos a dormir. Não será uma ordem, mas que há necessidade de estarmos vigilantes e exigentes, não há dúvida. Aqui ( na tua escola ) as obras recomeçaram e a bom ritmo, noutras o "acordar" não está a dar resultado.

Um grande abraço para casa.
Bom recomeço de aulas. Ainda não fui ver "os Golfinhos" mas espero que eles continuem a ter a alegria de poder contar contigo.
Abraço e beijinhos para ti.

Leonoretta disse...

por acaso sim!
e ultimamente para obter mais depressa o que eu quero ameaço com uns artigos e umas alineas da constituição. convencem-se que é verdade e pronto.

beijinhos da leonoreta