2 de agosto de 2006

Adenda (infeliz) ao post de ontem

Quantos mais jovens precisam de morrer em estúpidos acidentes para serem revistos os horários de bares e discotecas?

5 comentários:

Ruas disse...

O horário dos bares e discotecas, nada tem a ver com os comportamentos nas estradas. A grande parte dos acidentes, estão relacionados com falta de civismo. O álcool é para sarar as feridas diárias, como no tempo do Salazar… Com esta medida, da saltapocinhas, em fechar mais cedo, abririam na clandestinidade para saciar, por exemplo, quem trabalha por “turnos”.

Emiéle disse...

O "Ruas" pode ter razão até um certo ponto. Aquele desastre podereria ter acontecido á meia noite e estarem na mesma a cair de bêbados se tivessem começado a beber mais cedo.
Mas essa história de 'quem trabalha por turnos' parece-me muito forçada. Estás a falar de jornalistas ou pessoas das artes? Porque um trabalhador "normal" depois de um turno que acabe à meia-noite deve querer é ir descansar! Tenho uma amiga que trabalha no controlo do tráfego aéreo, e quando lhe cabe um turno da noite quando acaba quer é ir para a cama!!!
Por mim, estou do lado da Saltapocinhas em como esta moda das discotecas funcionarem nestes horários é .. contra-natura. A verdade é que depois de um jantar e até uma ou duas da manhã existem 4 ou 5 horas que bem aproveitadas podem dar para muito. E depois pode sempre ir-se terminar a noite em casa de amigos.

Ruas disse...

Tens que saber respeitar para seres respeitada. É o tempo deles, um caso, não é regra, muito menos generalizar parada no tempo. Tenha calma que eu, respeito a sua opinião, não estou de lado nenhum. Comento sem impor as minhas ideias.

Emiéle disse...

Ruas, se a resposta era para mim, (do que tenho dúvidas) porque é que não posso eu dizer que concordo com a Saltapocinhas...? Não estou a entender. Tu, no teu pleno direito, dizes que não concordas e explicas porquê. E eu, também no meu pleno direito, digo que concordo e também explico porquê.
Onde é que existe aqui essa "falta de respeito"?

Ruas disse...

Escreves mas não sabes onde incomodas. "E depois pode sempre ir-se terminar a noite em casa de amigos."