30 de março de 2008

actual atual, finalmente!

Ontem comprei este livro:



Custou-me 4,41 € na FNAC.
Não foi tão caro que me leve à falência, mas acho que devia ter sido distribuído gratuitamente em todas as escolas!
Afinal e apesar de tudo, ainda é por lá que se aprende a ler e a escrever!
Acontece que os professores estão habituados a pagar do seu bolso todos os materiais de que necessitam, desde o computador até aos simples lápis e afiadeira!
É um acto ato tão natural que nem nos damos conta que somos uns grandes financiadores do Ministério da Educação!

9 comentários:

piratas disse...

É mesmo verdade, somos mesmo financiadores do M.E. Hoje, o meu computador e a minha impressora ainda não pararam...
Gosto muito de passar por aqui.
Boa semana.
Teresa

José António disse...

E brevemente...Tcham! Tcham! O Professor financiador do ano! Facturas ao alto! Ou será ao altar?

Santos Passos disse...

Claro, pra mim melhorou, já que sou analfabeto em português de Portugal. As coisas ficaram mais parecidas, é fa(c)to.
Mas não gostei. Preferia ter de aprender a escrever como português.
Beijinhos

Santos Passos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Santos Passos disse...

Quanto ao material que tens de comprar em lugar do Ministério, a lembrança que teus alunos guardarão de ti te recompensará (apaguei o comentário que tinha feito porque tinha escrito tudo errado.)
:)

Saltapocinhas disse...

Obrigada professora dos piratas!

santos passos: dizes isso porque não és professor e nunca tiveste de explicar a uma criança porque raio hão-de escrever letras que não se lêem!!

em relação ao dinheiro que gasto, fazes-me lembrar aquela do "deus lhe pague"!!

Emiele disse...

Saltapocinhas, desta vez não estou de «acordo» contigo.
Claro que uma lingua vai evoluindo e a grafia também, mas tu explicas com certeza coisas bem mais complicadas do que porque é que se escrevem 'letras que não se lêem'.
Aliás nesse linha de pensamento ias ter de explicar por exemplo porque é que existe um C, um S, um Q e até um X com o mes o som muitas vezes...
Eles bem escrevem tudo com K, nos telemóveis...Pois lá será kasa, ou kéro. Mais fácil.

Agora é só mostrar o ato que pratico quando ato os atacadores do meu sapato. E a origem das palavras? Não é o que dizes para explicar o q e o c?

Saltapocinhas disse...

explico as contas de dividir... não há nada mais complicado!

em relação ao c, s, q e x, quando eles são espertos e começam a refilar eu digo "não é nada comigo, a culpa é dos romanos..."

eu sou pela simplificação, quero lá saber se "vencem" os brasileiros!
se a língua não evoluísse ainda estávamos a escrevr como camões, ou pior, como d. dinis!

aflores disse...

Não compravas. Qualquer dia já há na net :):):) e à borliú;)