29 de maio de 2005

Pela vossa saúde, não adoeçam!

Há quase 15 dias que a minha comadre fez uma cirurgia.
Essa cirurgia foi feita numa conceituada maternidade de Coimbra, ligada aos HUC...
Algumas horas depois de acordar da anestesia ela estava, como é natural e normal, cheia de dores.
Chama uma enfermeira para lhe dar um analgésico e
...analgésicos não há!!
Horas mais tarde dão-lhe um supositório Ben-u-ron porque entretanto ela também tinha febre alta...
Nos dias seguintes, quando ia fazer o penso, cada vez que a médica pedia um instrumento não havia e improvisava-se com outro "mais ou menos parecido".
(Tipo "acabou-se o papel higiénico mas há ainda muita lixa...")

Moral da história:
Esta história é completamente imoral!

(E fez-me lembrar também uma notícia que ouvi há alguns dias em que um médico de um hospital de Santo Tirso dizia que não usavam epidural nos partos - não sei se por falta de meios físicos ou humanos - mas que isso não tinha importância nenhuma!!)
E não se pode pôr o homem a parir?

16 comentários:

aflores disse...

Bem...se é para dizer mal, vamos lá dizer mal. Para quando um golpe de Estado? Afinal, nós temos o que merecemos, eles não estão lá por obra e graça do espírito santo.

Anónimo disse...

Ai olha, tu desculpa, mas estou tão contente de te poder ler, sem ter que abrir o explorer... que...

Pois... tu tens toda a razão...

E quando nos operam a perna esquerda e não a direita?

E quando morremos, porque não sangramos? E quando...

Boa semana!

Partilhas

guevara disse...

Olha, pior pior, é estarem a fazer os pontos, faltar a luz por bastantes minutos.
Suficientes para passar a anestesia e terem que coser a sangue frio...
Aconteceu com o meu pai!

Bom Dia! ;)

Anónimo disse...

Bem, eu sou enfermeira, e vejo as coisas de outra forma...as condiç~oes de trabalho nem sp são as melhores, e mts vezes temos de inventar e ser criativos para no fim td correr bem.

Cris disse...

Eu tive a minha filha numa das duas maternidades de Coimbra. era um local muito conceituado, mas já lá vão 11 anos e eu ainda n consegui esquecer o horror q lá vivi. Basta dizer q eu levava comigo uma carta do meu obstectra a dizer q era necessária uma cesariana e essa carta só foi aberta depois de eu estar em trabalho de parto há 4 horas. Não ma fizeram e deixaram-me ainda mais 8h nesse suplício. Nasceu com a ajuda de forceps e eu quase não vivia para a ver...
Mesmo depois disto tudo as únicas pessoas de q me lembro com um sorriso são o obstectra e o pediatra q nos acompanharam nos dias seguintes. As enfermeiras e a restante equipa médica são para tentar esquecer, pois nunca devem ter ouvido falar em calor humano...

Ao q parece agora, para além de humanismo tb falta material...

Beijinho

Didas disse...

Ok, se for parar ao hospital levo Ben-U-Rons de casa. Obrigada p+elo aviso.

pekala disse...

já não tens link para o meu blog...já não gostas de moi?:(

darkman disse...

tá mau então...

ashistorias.blogspot.com
ospensamentos.blogspot.com

Armando S. Sousa disse...

Parece que vivemos num país do terceiro mundo, na realidade quanto ao exercício da Saúde em Portugal não estamos muito longe. Quando ouvimos as somas astronómicas gastas com a Saúde e comparamos como somos tratados nos hospitais, só apetece gritar: Revolução, Já!

angelis disse...

Não tenho que dizer do hospital ao qual recorri, fui internada e sofri uma grande cirurgia, há cerca de 5 meses. Tive sorte? Talvez...mas nem tudo está mal...ainda há algumas coisitas que funcionam neste pais doente. E já agora...a quem recorrerá o governo quando adoece? A um hospital público?

Mushu disse...

Bem... ainda bem que avisas, assim levo os analgésicos de casa...
(mas estamos onde? Ah, pois, num país de terceiro mundo.)

BlueShell disse...

Caí!
Estou toda dorida e esfarrapada!
BShell

Carlos Barros disse...

claro os hospitais agora são geridos como as mercearias. ou pior...

Betty Branco Martins disse...

Na realidade existem histórias que metem hospitais e afins, neste país, (EUROPA!!!) que nem Stefen King consegue lá chegar com a sua história mais macabra!

Beijinhos

P.S.: Nada de ficarem doentes

Carla disse...

Acho que sim, que esse devia ter uns filhos para ver... Também temos aqueles pacientes que ficam com instrumentos estranhos esquecidos dentro do corpo... Uma vez li que muitas mortes nos EUA se devem à má caligrafia dos médicos, o que faz com que se comprem medicamentos errados. Anda tudo louco?

Abelhinha disse...

Quando fui para a maternidade para ter a minha filhota linda, o meu médico disse-me para eu levar paracetamol que me poderia ser útil, porque é comum nos hospitais acabar este tipo de componente na farmácia.

Não é normal!