5 de fevereiro de 2008

Incentivos à educação

A Emiele está muito escandalizada com a notícia de que os médicos recebem incentivos para fazer transplantes.
Quer dizer, além do ordenado que recebem, ainda recebem "por fora" por cada transplante que fazem.

Eu cá, além de não estar nada escandalizada, até estou a pensar propôr à minha ministra que faça o mesmo com os professores.
Até já posso ir adiantando a minha tabela de preços:

ir até à escola: ordenado base
ensinar a ler e escrever: 1000 euros
ensinar a contar: 1000 euros
ensinar a somar e subtrair: 1000 euros
somar com transporte: 1000 euros
subtrair com empréstimo: 1500 euros (é mais difícil que somar...)
ensinar a multiplicar: 1000 euros
ensinar a dividir por um algarismo: 1500 euros
ensinar a dividir por dois algarismos: 5000 euros (é difícil que se farta!!)

Estou certa de que com estes "incentivos" nem vou precisar de avaliação para me transformar numa professora competente!
(coisa que, está visto,não fui até agora!)

9 comentários:

Boop' disse...

O problema não é receberem pelos que fazem...
É receberem pelos que NÃO fazem!!!!!!!
Só porque o nome está lá como responsavel da equipa...

Dualidades disse...

A competência deve ser directamente proporcional ao valor dos incentivos! :o)

Dualidades JP

José António disse...

Bem pensado... A tua Ministra agora também vai estar no C. Científico para a Avaliação, portanto ficará mais fácil aprovares essas justas medidas que propões.

Paula disse...

Também não sabia desses incentivos médicos. A lista está um bocadinho incompleta também quero qq coisita pelo estudo do meio! e se for por temas então é que vai ser... ganhar competência!

SaltaPocinhas disse...

não gosto lá muito de estudo do meio paula...
preferia não ter de dar algumas partes!

de resto parece que todos estão de acordo comigo, principalmente os professores!! ;)

Ciranda disse...

Também fiquei a pensar nessa coisa dos incentivos e de ver falar o Eduardo barroso sobre o assunto. Esse deve ter dinheiro para os charutos, deve.

Boop' disse...

Se o tema te/vos interessa parece que amanhã na Visão vai sair uma reportagem mais completa sobre o assunto!

Eskisito disse...

Concordo inteiramente contigo, mas acrescento o ensino de língua estrangeira a 2000 cada hora.
Beijos

Emiele disse...

Clap, clap, clap!!!

Apoiadíssimo para os professores e claro está, que isto nos dá ideias para outras profissões, não é?

Um das coisas que sempre me deixou de boca aberta foi a existência
daquilo a que se chama «senhas de presença». Não sei se ainda existem, mas eram muito utilizadas. Uma pessoa ia a uma reunião. Ia porque era esse o seu trabalho, claro está. E depois, pelo facto de lá ter ido recebia «uma senha de presença»!!!! Então se não tivesse ido?!

(esta parte para mim está muito fresca porque há bastantes anos o meu marido ia tendo grandes problemas, porque um dia iam dar-lhe juntamente cm o ordenado essa coisa das ditas senhas. Ele que, graças a Deus, sempre foi visceralmente honesto, recusou esse bónus. Que disparate, tinha estado lá nas suas funções. Caiu o Carmo e a Trindade! "Ai Dr. não nos faça isso que os seus colegas vão aos arames! Sempre assim foi e vão levar muito a mal!" e se vos disser que quase acabou em processo disciplinar, só digo a verdade...)