12 de fevereiro de 2008

O leite

aumentou de preço.
E, como sabemos, o leite é um alimento essencial para todos, mas principalmente para as crianças...

As pessoas que vivem com problemas económicos, vão ter mais dificuldade em fornecer aos filhos a dose diária de lacticínios recomendada...

Será?

Então porque é que as criancinhas - principalmente as mais carenciadas - desdenham o leite que lhes é fornecido - gratuitamente - pela escola?
E em vez disso, trazem de casa leites comprados, iogurtes líquidos e outras coisas que eu nem sequer conheço?

O pão também está cada vez mais caro.
Talvez seja por isso que essas crianças trazem, em vez de pão, croissants ou Bollicaos!




(clicar para ler)

11 comentários:

aflores disse...

Os "papás" não estão para perder tempo a ensinar as criancinhas a bons hábitos alimentares. É mais fácil as cocas, as pepsis...depois perdem tempo e dinheiro nos nutricionistas.
Eu gasto uma "fortuna" em leite...e o que me irrita imenso são as grandes superfícies, para além de aumentaremn ao preço do leite, estipularem valores máximos que cada cliente pode comprar. Grrrrrrr :(((((((

Abelhinha disse...

A Inês anda numa escola pública na pré.

Fiquei muito satisfeita com uma decisão que a educadora tomou:

- Não há bolicaos, croissants e afins

O lanche tem que ser pão, ou bolachas maria /torrada que é acompanhado com o leite da escola. Se os pais não quiserem que os meninos bebam o leite da escola (que normalmente dizem que não gostam) podem substituir este leite por outro, mas não por sumos.

Não é fácil para ela, mas, nenhum dos pais boicotou a decisão.

Quanto a mim aplaudi a mesma, não pela minha Inês, mas por saber pela experiência da minha mãe (professora do 1º ciclo já aposentada) que os miúdos (principalmente os que passam mais dificuldades) cada vez levam mais porcarias para os lanches da escola.

SaltaPocinhas disse...

inês:
eu também "raciono" os lanches, mas vou devagarinho.
os meus "golfinhos" já não traziam porcarias para o lanche, mas estes ainda não estão completamente educados.
e os meus alunos até bebem o leite, eu estou a referir-me à escola em geral.
eu própria tiro o meu pão com manteiga da mala mesmo à frente deles e nem é preciso dizer nada: muitos já trazem pão com manteiga!

flores:
não utilizo ainda a autoridade da educadora da inês, mas na minha sala não entram essas bebidas de certeza!

Peixoto disse...

O Estado é quem dá o mau exemplo. Vejam-se as cantinas das nossas escolas!

SaltaPocinhas disse...

peixoto:
as cantinas são outra história, que fica para outro dia!!

Emiele disse...

Esse problema da alimentação das crianças, tu bates bastante na tecla e eu também tento, mas é um problema e tanto!!! é que há toda uma força enorme da publicidade e do exemplo dos outros, que nos faz nadar contra a corrente, desgastando-nos muito.
Calculo que apesar de tudo, se trabalhas num meio mais pequeno consigas melhores resultados. Mas esta é uma área onde é necessário o esforço conjugado dos pais e professores. Só um lado não consegue.

Didas disse...

O que acho é que essa composição está injustamente classificada. Este professor devia ser avaliado como "MAU".

... disse...

Ola,

É verdade ao andar por aqui a passear na internet, à procura e a divulgar o meu trabalho encontrei este blog.

Desde ja dou-lhe os parabens, não so pelo blog, mas pela pessoa que me parece ser.

Aproveito para a convidar a espreitar o blog www.mestrefilipe.blogspot.com e conhecerem o nosso trabalho.

Ate sempre.

peciscas disse...

São as contradições da pobreza cultural, que, por vezes, ainda é mais grave do que a material.

Gostei de reler essa "velha" redacção do senhor prior a dar leite...

Quintanilha disse...

Bibó leite!

migas (miguel araújo) disse...

Ora no meu tempo era mesmo o leitinho.
Ma deixemo-nos de demagogia. Também já havia o Nesquik, o Ovomaltine, o ColaCao e outras coisas para por no pão, também elas esquisitas. Não é só agora que as criancinhas comem mal. Ainda hoje há o tulicreme e afins.
Mas acho que deviam optar pela sugestão do Senhor Abade: leitinho em pó...
Ao menos ninguém pecava (como no Eduardo "cétimo").
Cumprimentos