9 de fevereiro de 2008

Voltaire preferia a monarquia à democracia; na primeira basta educar um homem, na segunda há necessidade de educar milhões - e o coveiro leva-os a todos antes que dez por cento concluam o curso. Raro percebemos as partidas que a limitação da natalidade prega aos nossos argumentos.
A minoria que consegue educar-se reduz o tamanho da família; a maioria sem tempo para se educar procria com abundância; quase todos os componentes das novas gerações provêm de famílias cujas rendas não permitiram a educação da prole.
Daí a perpétua futilidade do liberalismo político; a propagação da inteligência não está em compasso com a propagação dos ignorantes. Daí ainda a decadência do protestantismo; uma religião, do mesmo modo que um povo, não vinga em consequência das guerras que vence, senão que dos filhos que gera.

Will Durant, in "Filosofia da Vida"

3 comentários:

Emiele disse...

E na monarquia educam um?...
Oh dúvida!
Porque afinal quem é que educa os educadores...

Grilinha disse...

Este post dá que pensar.

Bom Domingo

TINTA PERMANENTE disse...

Curiosamente, Will Durant era... gago!

Abraço!