29 de janeiro de 2008

Avaliações e companhia

Deve estar por aí a rebentar a avaliação do pessoal não docente.
Como coordenadora de escola, é um frete que tenho de enfrentar todos os anos.

(Por saber como é difícil avaliar o trabalho das pessoas, mesmo quando ele se vê no concreto - escola limpa, boa organização, etc. - imagino o que vem por aí com a avaliação dos professores!!!)

Então lembrei-me de propôr o seguinte:
Eu não tenho nada que avaliar a auxiliar da minha escola. Elas que arranjem "auxiliares titulares" que as avaliem...

E é se querem!!

6 comentários:

um das artes disse...

O melhor é nunca sofrer por antecipação. Já basta o que temos de nos aguentar para entender esta fragmentária ingerência legislativa!

Será que interessa a identidade, num mundo virtual? - também é interessante o anonimato, não?

SaltaPocinhas disse...

um das artes
eu não estou interessada em saber a tua identidade, só perguntei se és destas bandas, pois falas como se fosses de cá!
sabes que nós aqui temos um certo "conhecimento" das pessoas através dos blogues, e como tu não tens, não faço nenhuma ideia acerca de ti!

um das artes disse...

Acho interessante verificar alguns blogs (não tenho nenhum, por agora, por isso só "espreito"). De facto, parece que alguns se conhecem bastante bem - talvez seja apenas pela troca de mensagens, mas as opiniões vão-se manifestando e as pessoas vão-se realmente (ou virtualmente)"conhecendo" - tem piada!
Leio muito poucos e em dois deles vou obtendo respostas, que é este o caso e o do Edukare. Acho engraçado comunicar sem fazer a mínima ideia de com quem comunico ou interfiro, mas em todo o caso, sim, sou destas bandas. Vivo em Aveiro há mais de 30 anos e também sou professor, claro.

Anónimo disse...

Olá,Sou brasileira, também Professora de Português.Por acaso não muito acaso suponho,"caí" em seu blog. Aqui no Brasil são cinco da manhã e estou trabalhando (com licença do gerúndio tão ao gosto de nossa feijoada". Identifiquei-me com sua escritura, leve e pessoal. Parabéns. Um abraço.
Jocemara
P.S.: governos são mudam de países como família de casa.

floreca disse...

Olha que essa avaliação já está definida, já tenho estado a trabalhar nela.

Mas a ideia dos funcionários titulares até que nem era má. E uns inspectores para os avaliarem também não.

;-)

migas (miguel araújo) disse...

Uma pergunta de retórica.
Como não sou professor (agora aluno de comunicação) e longe vãos os meus tempos de liceus, tenho alguma dficuldade em perceber.
Mas os professores não servem para ensinar, dar aulas e "educar" para a vida?!