Demagogia, feita à maneira

Em Anadia morreu um bebé.
A morte de um bebé é sempre uma tragédia.

Por isso, ainda é mais nojento o aproveitamento político que esse triste acontecimento provocou.
É preciso não ter vergonha na cara para fazer demagogia com uma morte trágica!

O que eu ouvi do acontecido foi o pai do bebé que contou, por isso deve ser verdade (embora para políticos e alguns jornalistas não o seja):
O bebé já estaria sem respirar quando o pai telefonou para o 112. Combinou encontrar-se com o INEM à porta do hospital porque tinham de se encontrar em algum lugar!
Aliás e também segundo o pai da criança já passaria das 8 horas, o que quer dizer que as urgências do hospital já estariam abertas.

Portanto, a guerra das urgências não tem nada a ver com este caso!
E é lamentável que a oposição deste país, em vez de fazer um trabalho sério, se dedique a estes jogos sujos.

Comentários

Emiele disse…
Olha Saltapocinhas, lê
este post
da Susana, no Aspirina.
Parece-me excelente. Diz o que eu queria dizer há muito tempo.
SaltaPocinhas disse…
olá!
e eu que tinha perdido o rasto à susana, desde o afixe!
e na altura foi ela que me deu o endereço do teu novo blog!
vou já lá ler.
Formiguinha disse…
Concordo plenamente contigo!!!

Isso mostra o quão pequeno (em toda a acepção da palavra) é o nosso país.

Bêjos
um das artes disse…
Ao vasculhar pelos inúmeros blogs, achei este bastante interessante pelos temas abordados e a forma como o são. Parabéns.
Peço desculpa (de nada vale) pela intromissão, mas vou continuar atento...
Didas disse…
Totalmente apoiado.
Berenice disse…
Desde a primeira vez que vi, ouvi e li a notícia que nao percebi a relação da morte do bebé com o fecho das urgências... Morrer neste país começõu e vai continuara ser culpa da reforma do sistemas... nao que a defenda mas o que é demais...

já agora peço desculpa pela invasão!
Boa continuação
SaltaPocinhas disse…
um das artes e berenice
isto é mesmo para ser invadido!
só assim é que tem piada!
obrigada pela visita e espero que voltem!

Mensagens populares deste blogue

O vagalume e o sapo

O respeito

Fábula moderna