27 de janeiro de 2008

Gandas Uportenidades

Numa altura em que os professores se preparam para serem "avaliados" por colegas que lhes assistirão às aulas (como se tivessem voltado a ser estagiários) e em que os novos professores irão de ser avaliados com uma prova onde, se não obtiverem 14 valores, não poderão ingressar no ensino,
nada como brincar com leis estúpidas imaginadas com certeza por alguém que tirou assim o seu curso!!
Ah, e não se esqueçam de comprar Bolicao!!


7 comentários:

Emiele disse...

O avaliador, quem o avaliou?...
Se calhar houve outro igual que lhe disse que ele ia ser avaliador.
:D
(encontraste no Youtube?)

SaltaPocinhas disse...

encontrei :)
esta história das avaliações é tão ridícula que tento nem pensar nisso!
"um dia de cada vez" como diz uma amiga!

José António disse...

Tens razão é ridícula e se há pessoa que tem razão para a considerar ridícula, és tu. Disses-te aqui que tens muitos ciganos na tua escola e na tua turma. Ora bem... todos sabemas que o contexto sócio económico e cultural dessas crianças constitui desvantagem, atendendo aos pré-requisitos inerentes aos conteúdos curriculares. As fichas permitem essa ponderação? Não permitem!

SaltaPocinhas disse...

claro que não devem permitir! (ainda não li, não me apetece)
E como andam todos no 2.º ano, vê lá onde vai parar a "percentagem"!!

é tudo muito fácil para quem passa a vida alapado em gabinetes...

Didas disse...

Posso estar a ser uma cabra mas não percebo a nóia. Eu sempre fui avaliada e tive que fazer uma prova para ingressar.

SaltaPocinhas disse...

Didas e tu és avaliada pelos teus superiores hierárquicos ou pelos teus colegas??
que achavas de um colega teu se sentar a teu lado a observar-te a trabalhar??
E como já deste aulas achas que o nosso trabalho deve ser avaliado "à peça", do género quantos mais passas de ano melhor avaliação tens??

Didas disse...

Claro que não acho. Mas o que se passa é que os sistemas de avaliação da qualidade de trabalho são sempre coisas lixadas de implementar, susceptíveis de criar injustiças, discutíveis... mas tem que haver, digo eu. E têm que ser melhorados com o tempo e com a experiência... digo eu também.