17 de janeiro de 2008

Agora entendi!

Agora entendi tudo!
Eu sou mesmo muito burra!

Foi preciso ir ao blog do José António, um rapaz muito mais esperto que eu, para perceber as coisas!!
Diz ele:

«Estava preocupado com o facto de ter de fazer de avaliador e com os bocejos que o processo acarreta.
Mas não é nada assim: os professores de ensino especial são avaliados por um professor das áreas de expressão!
Tem tudo a ver... e eu nem quero ouvir falar mais do assunto.
O infortúnio chega-se para as bandas do solfejo e eu fico com os maxilares no sítio.
Desde que não tenha de soprar no pífaro - se falo muito ainda levo com um despacho - negócio fechado!»

Fez-se luz e eu entendi, finalmente, por que colocaram na minha escola uma professora de EVT no que devia ser o Ensino Especial!

É que está tudo ligado!!

9 comentários:

O Profeta disse...

Na noite onde se esconde o canto dos pássaros
De onde nasce este manto de bruma
Para que norte viajam os teus anseios
O que procuras perdido na espuma


Bom fim de semana


Mágico beijo

Emiele disse...

Tás a ver...?
Tudo certinho, tudo tem a sua razão.
:)))

José António disse...

Há nessa história toda uma quantidade de equívocos. Vamos ver: Para efeitos de organização (arrumação), faz algum sentido que os prof.s de ensino especial fiquem no grupo desses professores (uma grande parte dos alunos com NEE de carácter permanente no 2.º e 3.º Ciclos frequentam essencialmente aulas de espressão). Embora prefira ser avaliado que avaliador-avaliado, tenho de reconhecer que, para efeitos de avaliação, é uma coisa sem o mínimo de sentido.
Ou muito me engano, ou chegamos ao ponto em que nada nos surpreende.

José António disse...

Há tb uma outra explicação que começa assim: Essa gente das artes é toda meio...
Olha! Para se estragarem dois grupos, mais vale metê-los todos num.

um das artes disse...

Essa do José António, sobre os das artes, só se for a brincar... (se não, já parece o Sócrates a falar).

Pedro disse...

Estamos entregues à bicharada e ninguém nos liga: nem Presidente de República, nem Provedor da Justiça, nem oposição ao Governo, nem sindicatos. Vá lá que os jornalistas ainda vão dando a conhecer algumas das verdades miseráveis da Educação deste país...

SaltaPocinhas disse...

um das artes
o jose antonio faz parte do grupo,por isso não creio que esteja a ser depreciativo!

pedro
os jornalistas nem sempre dão a conhecer a verdade verdadeira, mas sim a verdade que lhes dá jeito...

aflores disse...

Tu não és burra, e os Burros são animais (protegidos) em vias de extinção. Tem tudo a ver não tem? :)))))))))))))

Lic disse...

Se fossem mais unidos em vez de andarem em guerrinhas de classes, se se vissem como colegas, como funcionários públicos, como trabalhadores do estado e como trabalhadores, os tipos que andam a tratar de nos fazer a vida negra tinham muito menos margem de manobra.
É evidente que a avaliação sempre foi muito injusta, principalmente para os que vestem a camisola do esforço e do trabalho.
O sistema anterior avaliava todos por igual sem discriminar as nódoas e o sistema actual continua a premiar as nódoas porque estas como nunca souberam fazer nada fazer, com mérito, aquilo que sempre souberam fazer.
Para os que sempre deram o litro a bitola sobe sempre mais e têm que mostrar serviço por eles e pelos que sempre nada fizeram.
Quando chega à altura das contas os que nada fazem superam os que dão o litro atingem.