15 de julho de 2005

Ainda os ciganos

O assunto não era para continuar, mas depois de tantos comentários não posso deixar de fazer a "parte 2" para clarificar bem a minha posição:

Desde há sete anos que tenho alunos ciganos.
Sempre mantive boas relações com eles e com as famílias.
(Com as famílias que vêm à escola porque também há as que nunca vi.Normalmente a família são os irmãos e a mãe, porque o pai está na cadeia ou vice-versa.)

Estes que roubaram a máquina fotográfica fazem parte de uma família com pai, mãe e 7 irmãos (o mais novinho fiquei a conhecê-lo pelas fotos!! - vai-te rindo Didas - e são dos que até vêm à escola se forem chamados).

O mais velho foi meu aluno há dois anos e foi aí que começaram os roubos: limpeza à minha carteira, à da minha colega (duas vezes a cada uma que nós demorámos a aprender) e o telemóvel a outra.
Isto sem falar de pequenos furtos ao material dos colegas, ao material da escola e até ao leite da escola.
Antes que comecem a pensar "tadinhos, roubam porque têm fome", eu aviso já que não, não têm fome.
Os lanches deles são avantajados e muitas vezes trazem daquelas coisas fritas que são bastante caras. Até chegam ao ponto de trazer bebidas de lata, incluindo Coca-cola.
Quanto ao leite, muitas vezes serve-lhes apenas para andar com os pacotes a "esguichar" os colegas.

Há uns anos, quando era eu que preenchia os papéis dos subsídios, esta família recebia mais de cem contos por mês de rendimento mínimo!
Uma vergonha, atendendo a que eu preenchia os papéis de outros meninos que tinham o pai ou a mãe a trabalhar numa fábrica e ganhavam metade!
Além disso, os que vivem do rendimento mínimo têm automaticamente direito a um subsídio da Câmara para livros e material escolar - ao contrário dos filhos dos trabalhadores que têm de preencher e de tratar de tantos papéis que a maioria desiste por falta de tempo!
Esse subsídio permite-lhes ter os livros de graça assim como passeios, teatros e ainda material escolar para todo o ano...

Eu não sou racista, nem xenófoba, não vale a pena irem por aí...
Agora o que eu sou, ou pelo menos tento ser, é justa em todas as circunstâncias.
E todas as injustiças me revoltam, mas principalmente aquelas com que tenho de lidar no dia a dia...

E faltou-me dizer uma coisa sobre o rendimento mínimo: para o receberem a única obrigação destas pessoas é mandar os filhos à escola... só isso!
E pensam que o fazem?
Eles vêm só quando querem e lhes apetece. Normalmente, salvo raras excepções, têm mais faltas que presenças...
E não lhes acontece nada!
E se isto é justiça, eu sou a Miss Mundo!

9 comentários:

guevara disse...

Tu querias ser Miss Mundo!!
Mas concerteza (e não fiqus zangada) não vais sê-lo nunca pelas mais diversas razões!
Tal como injustiça continuará a ser uma palavra comum.
E injustiças com dinheiro de outros, que é de todos, para todos, é de uma coisa...
Revolta-me, porque eles sabem bem gozar connosco: A câmara,e os ditos pobres.

Ai...

guerrilha disse...

Então não é (lembrei-me...) que há uma família de Brazileiros (não estou a atacar o Brazil, nem a generalizar, atenção!) no meu prédio que estão inscritos na câmara como sendo 'família pobre numerosa, em exclusão social', têm todo o tipo de subsídios, passando pela renda de casa!

E não é que eles não pagam a renda ao Senhorio, não trabalham, trazem mais família (a passar 6 meses em Portugal)e no dia estão à porta do gabinete para receber o cheque?
E agora, o Senhorio quer despejá-los mas não pode, porque a mãe, única adulta da casa (tirando os outros que não podem ser responsabilizados) está internada no hospital há vários meses por doença neurológica!

E passeiam-se o dia todo pela cidade...
Não fazem nenhum e é o nosso $ que vai para eles!

Assim NÃO!!!

Zecatelhado disse...

Vamos lá a responsabilizar O POER por todas estas situações.


Um abração do
Zecatelhado

Abelhinha disse...

só encontro uma palavra para descrever essa situação: indescritível

Freddy disse...

Uma andorinha n faz a primavera e nem todos os ciganos são más pessoas ou com maus hábitos...

Qto ao Rend.Mínimo...Acho q é maior mama e escandaleira de todos os tempos em Portugal...

Beijitos da Zona Franca

JesusRocks disse...

O rendimento mínimo foi dos piores erros do Governo de Guterres (e foram muitos e imensos). Em vez de servir o propósito a que se destinava [teoricamente], serviu sempre (e pelos vistos assim continua) para acentuar as injustiças sociais e privilegiar aqueles que mentem e enganam o Estado.

Brasil escreve-se com S em vez do Z, pelo menos na língua portuguesa (em inglês é que se utiliza [erradamente] o Z).

António disse...

Se roubar é genético?
Pode ser e pode não ser.
Escrevi no post anterior.
E não tenho dúvidas.
Há muito de genético em tudo o que uma pessoa faz, ou pensa.
Mas também pode haver muito de educação e instrução (ou sua ausência).
Cada caso é um caso.
Cuidado com as generalizações.
Jinhos

Didas disse...

compreendo-te...

Formiguinha disse...

100% de acordo ctg. Não se trata de racismo, xenofobia ou nada desse género. Há que haver justiça e a treta do rendimento mínimo só foi justa para alguns. Conheço caso de famílias que à pala disso auferem cerca de 400 cts mensais sem fazer a ponta d'um corno. E quando o meu pai chamou o chefe de família para um trabalho este disse-lhe: "Vc deve ser parvo! Acha que vou voltar a trabalhar? Agora temos rendimento mínimo." Ora toma e embrulha! Ah! Não é caso único, já aconteceu um ucraniamo (pedreiro) dizer o mesmo e recusar o trabalho que lhe foi oferecido