26 de maio de 2006

O Principezinho e outras leituras



Sempre tive o costume de ler histórias aos meus alunos porque tenho a certeza que o gosto pela leitura se cria.
Normalmente uns 10 ou 15 minutos antes da hora de sair, já com os tarecos arrumados e com eles sentados no chão à minha volta.
No 1.º ano começo com pequenos poemas e pequenas histórias.
Depois os livros que vou lendo vão evoluindo à medida que eles crescem, mas já li livros "para adultos" a meninos de 8 e 9 anos.
Já li a turmas que me passaram pelas mãos livros como "Alice no país das maravilhas" de Lewis Caroll e na versão integral.
Ao último 4.º ano que tive li-lhes também "História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar" do Luis Sepúlveda. Adoraram!

Mas obrigatório mesmo é "O Principezinho".
Quase todos os alunos que me passaram pelas mãos ouviram ler esta história.
Podem nunca mais a ler ou ouvir ler, mas acredito também que nunca mais a esqueçam...

Na semana passada acabei de a ler aos Golfinhos
Sobre ela eles fizeram textos e desenhos a ser publicados lá no blog deles.
Mas houve frases tão giras que eu resolvi roubá-las para aqui!

"O senhor aviador desenhou-lhe a ovelha que ele pediu", Joana Filipa

"Eu gostei do Principezinho porque ele anda de planeta em planeta.
Ele vivia num planeta muito pequenino e tinha uma rosa para tratar e os vulcões para limpar", Rodrigo

"O aviador para desenhar uma ovelha só desenhou a caixa. Se calhar ele não sabia desenhar a ovelha. (...) Eu gostei do fim quando ele voltou para a sua terra", Helena

"Gostei da aventura do Principezinho com a raposa porque o que ela disse é a verdade", Joana Cristina

"Eu gostei de uma parte em que o bêbado tinha muitas garrafas", Pedro

"Foi muito giro. Eu gostei principalmente da parte da raposa.
A raposa quando se foi embora disse ao Pricipezinho: só se vê bem com o coração", Rita

8 comentários:

Carla Silva disse...

Fico feliz por transmitires o gosto pela leitura aos teus alunos; eu adoro ler e "O Principezinho" foi e continua a ser um dos livros que eu li mais vezes.
Beijinhos e um bom fim-de-semana.

afigaro disse...

É inegável o esforço dos docentes para que as pessoas leiam.
Na praia, já vemos muitos portugueses "agarrados" a um livro. Há um década uma pessoa a ler na praia era sinónimo de ser cidadã estrangeira.
A sociedade agradece aos professores a caminhada da cultura iniciada.

SaltaPocinhas disse...

Pela minha parte faço os possíveis, que nem é uma tarefa nada difícil, antes pelo contrário! Agradeço as vossas simpáticas palavras e também acho que os professores devem ter alguma coisa a ver com o desenvolvimento deste país sem ser apenas ensinar a ler e a escrever!

Hindy disse...

Muito bem! :)

Bjs

Formiguinha disse...

No colégio onde andei, uma das professoras de português que tive também reservava os últimos minutos da aula à leitura em voz alta. E criámos uma biblioteca com tantos livros como alunos da turma e iamos trocando.

Jinhos****

Ps - ontem postei sobre o teu quadro maravilha!

emigrante atípica disse...

É fundamental que mais professores sigam o teu exemplo. Mas sobretudo que sejam os pais a dar início à leitura em voz alta. O meu filho tem quase 4 anos e adora que nós lhe leiamos histórias. Anda sempre com um livro debaixo do braço. E nós lemos tanto cá em casa.
Espero que ele encontre uma professora como tu quando for para a escola. Pais e professores têm o dever de colaborar para promover a leitura!

SaltaPocinhas disse...

Olá emigrante! Bem vinda! E tens toda a razão, mas eu infelizmente tive e tenho alunos cujo primeiro livro que tiveram em casa foram os manuais escolares!

miguel disse...

Que ideia bonita essa de partilhar o princepezinho com os teus alunos.

Também gostei muito da gaivota do sepulveda.

beijos,
miguel