23 de maio de 2006

Provocações

O Manuel Ribeiro é especialista em caricaturas (sabem, caricaturas, aquelas coisas que exageram os defeitos ou imperfeições, muito diferentes dos retratos!).
Há 2 semanas o alvo foram os professores...
Na Notícias Magazine deste domingo há 10 ou 11 cartas de professores indignados a vociferar contra o homem...
Fora as cartas que não foram publicadas...
Vai daí, também resolvi dar a minha achega e escrevi ao Manuel Ribeiro.
Assim:

Caro Manuel Ribeiro:
Os professores são uma classe de pessoas maioritariamente inteligentes (daí haver tantos a ler a NM) e que entendem perfeitamente o que é uma "provocação".
A caricatura está bem feita e até põe o dedo em algumas feridas (embora ninguém goste de ver assim escarrapachados os seus defeitos, todas as classes os têm e os professores não fogem à regra).
Mas, a maioria dos docentes deste país são bons ou muito bons e trabalham, na maior parte dos casos - e principalmente no 1.º ciclo que é o que eu conheço melhor - em condições que muitos intelectuais de gabinete nem imaginam porque só conhecem os colégios finos onde têm os seus rebentos.

Acredito que muito poucos teriam reagido mal à sua crónica, não fora dar-se o caso de, de há uns anos para cá, mas especialmente neste ano lectivo, os professores andarem a "apanhar" de todos os lados!
É que nem sabemos de onde elas nos caem!
E vêm de ignorantes, de gente que nada tem a ver com a educação, e que revelam grande falta de respeito para com todos os profissionais do ensino.
Tem havido muitos, cada jornal tem o seu, mas estou a lembrar-me especialmente do Sr. Miguel Tavares que, do que sei, foi o que escreveu e disse as maiores barbaridades.

A Ministra da Educação tem tomado muitas medidas acertadas mas também tem feito algumas asneiras (ou deixado que os lambe-botas das DRE as façam para "mostrar serviço").
Mas eu não a condeno porque me parece estar a agir de boa-fé e também porque só quem não faz nada é que não comete erros.

Quanto a si, não tome a árvore pela floresta e continue com as suas excelentes provocações!

Cumprimentos,

12 comentários:

PN disse...

Tenho pena de não ter visto o cartoon...

SaltaPocinhas disse...

@@PN: Não é um cartoon, é um artigo na noticias magazine de 7 de maio. Se quiseres faço um scaner e envio-te!

afigaro disse...

É obrigatório ler o Manuel Ribeiro semanalmente. Deliro semana a semna com os comentários das "tias" e dos "tios", na mesma revista. Levam mesmo a coisa a sério!

floreca disse...

Podem ler aqui tudo:
http://pandora-20.blogspot.com/2006/05/ao-diabo-o-polimento.html

SaltaPocinhas, tal como tu, sei que isto não passa de um cartoon, exagerado, como todos.
É verdade, também, que este ano todos nos saltam em cima e reagimos!
Tenho de ver se leio as respostas desta semana ;-)

Carla Silva disse...

Tenho imensa pena de não ter visto a notícias magazine de 7 de maio (ainda vou tentar arranjar); de qualquer maneira concordo contigo, pois os professores estão a "apanhar" de todos os lados e depois quem "paga as favas" acabam por ser também os nossos filhos.
É o país que nós temos...
Beijinhos.

peciscas disse...

Acho, colega, que estás a ser demasiado branda, quer para com o Senhor Ribeiro, quer para com a D. Maria de Lurdes.
Nessas ,como em muitas outras pessoas, há uma apreciável dose de desconhecimento sobre o que é mesmo preciso fazer (e há muito ) para melhorar a nossa Educação. Normalmente as críticas que sofremos são superficiais, levianas, mal informadas. E não vão à raiz dos problemas.E, normalmente, as medidas que têm sido impostas, são apressadas, mal planeadas e, por isso mesmo, mais ou menos ineficazes.
Sabes bem qual é actualmente, o estado de espírito que se vive nas escolas. E, iremos ver, mais cedo do que tarde, o resultado destas tão cantadas medidas. Vamos ver se o tal sucesso educativo aumenta.
Para já, há um dado que começa a ser evidente: o aumento de casos de desrespeito grave pela integridade física e psicológica dos docentes.
Quanto a esses escrbas como o Senhor Ribeiro, acho que a habilidade é um tanto saloia. Há quem vista a pele de um divertido provocador, para poder passar mensagens que, afinal, são do mais primário reaccionarismo. Repara que o homem tem uma certa fixação pelo achincalhamento das mulheres. Será tão a brincar como isso?

PN disse...

Sim, sim quero, se fizeres esse favor.

PN disse...

olha já li, segui o link indicado pela "Floreca" e acho que o senhor foi longe de mais. É certo que essa das "idas ao shopping e das novelas" até tem a sua graça e se aplica a algumas pessoas, mas o artigo revela, em primeiro lugar, um grande grau de machismo, ao dirigir-se às professoras no feminino, até porque, pela minha experiência, conheço professores do sexo masculino que literalmente não fazem nada na escola, além de que depois não têm de ir para casa cuidar dos filhos ou das lides doméstica. Disso esse senhor não falou. E a parte final do texto é deplorável. As "sugestões" são de um mau gosto tremendo e revelam um pensamento tipicamente masculino, porque só se lembrou de dar sugestões que envolvessem sexo. Além de que não tem o direito de empregar nomes como "camafeus". Quando adultos têm o direito de denegrir a classe docente desta maneira, o que não farão os nossos alunos, com exemplos destes?

SaltaPocinhas disse...

Só quem não lê o Manuel Ribeiro semanalmente é que se espanta: ele escreve assim de toda a gente e toda a gente acha piada desde que não seja a sua profissão a ser caricaturada.
Acontece que os professores este ano andam, e com razão, hipersensíveis a críticas. Peciscas, tens razão nalgumas coisas que dizes mas o Manuel Ribeiro não tem culpa nenhuma disso. E eu conheço, tu conheces, toda a gente conhece professores que vão a "reuniões" ou "formações" só para saírem da parvónia e irem arejar (mas tb o fazem os médicos, as assistentes sociais, os e as enfermeiros, advogados... toda a gente.
E, ao contrário da maioria das pessoas eu nunca achei que o MR fosse machista, precisamente por causa da maneira como escreve!

Caçadora disse...

Não canses a tua beleza... bejão

Emiéle disse...

Oh saltapocinhas, que grande verdade: toda a gente acha graça desde que não seja a sua profissão!
Reparo tanto nisso...! Quando há uma profissão na berlinda ( e toda a gente tem alguns telhados de vidro!), seja ela qual for, de chaufeur de taxi a advogado, de farmacêutico a mulher a dias, - para não falar nos 'funcionários públicos' que isso é bombo onde até os colegas malham - os «outros» acham sempre graça enquanto os próprios se indignam a mostrar a injustiça.
É a prova provada que, se toda a gente tem ovelhas negras , o resto do rebanho anda branquinho!

jorgesteves disse...

Leio habitualmente o Notícias Magazine. Naturalmente tenho apreciado algumas indignações dirigidas à crónica final do Magazine. Desta vez calhou às professoras (na verdade os alvos são indiscriminados, embora preferencialmente seja o mulherio, como por lá é vulgar referir-se...)
Para além da questão de fundo, permita-me aqui levantar uma questão: já pensaram que o dito economista pode ser, afinal, uma ficção, um produto de markting comercial?...
Ora vejam se há ou não alguém, na Notícias, que tem uma 'linha' de escrita muito semelhante...
amizade,
jorgesteves