21 de outubro de 2008

Já lá vêm os Magalhães?

Não sei quantas vezes já disse aqui que não alinho, de maneira nenhuma, nesta história do Magalhães.

Para mim é apenas campanha eleitoral da mais demagógica que já vi em toda a minha vida!
Não alinho com o princípio em si (acho indecente andarem a dar computadores de graça a muita gente que não os merece e que já recebe do erário público muito mais do que devia!)
Não me passa pela cabeça como vou organizar a minha sala de aula quando lá chegar o malfadado Magalhães: trabalham os que têm computador?

E os que não têm? Fazem o quê?
Mexem nos computadores dos colegas para depois quando aquela tralha avariar virem os pais chatearem-me a mioleira?
É que não dou 1 mês ou 2 para não haver Magalhães a funcionar!! Uns terão sido vendidos, outros destruídos, outros avariarão infestados de vírus! E estão a ver um fulano que recebeu um computador de borla a pagar para lho arranjarem??)

Também há o problema de logística:
Para evitar que os alunos andem carregados de livros, guardo-os no armário da sala, o que nem é nada prático. Mas vale a pena o esforço porque detesto que eles andem tão carregados, faz-lhes um mal terrível à coluna.

E vão andar a carregar computadores às costas??

Depois, quem conheça as crianças, sabe que elas têm "o mau hábito" de brincar sempre que têm um bocadinho livre! E para isso nem hesitam em atirar as mochilas para o chão, imaginem!!



Onde ficam os queridos Magalhães no meio deste caos??

Ah, e não me mandem a mim "tomar conta" dos computadores!!
Já me bastará ser intermediária na sua venda!!
E sem comissão!

12 comentários:

Angel disse...

Nem quero saber onde isto vai parar com tantas 'ofertas' aos meninos... Qd forem adultos tb vão ser presenteados com amigos, emprego, marido/mulher, casa, carro, piscina?...

ameixa seca disse...

Eu sinto é que andam a enxovalhar o nome do Magalhães... o homem a esta hora anda às voltas no túmulo :)

Emiele disse...

Tás mesmo com mau feitio, rapariga! Olha, quando chegarem vai resolvendo o caso à medida que os problemas forem surgindo.
Apesar de também ter sentido a coisa como «campanha eleitoral» cá para mim vai falhar o alvo, porque essas questões que enumeras vão fatalmente surgir. Às tantas as famílias vão considerar que era mais sensato ficarem a pertencer à escola, como parecia de bom senso.

Saltapocinhas disse...

olá emiele!

compreendias melhor o meu "mau feitio" se visses as condições em que trabalho porque não há dinheiro para arranjar as escolas!

compreendias melhor se assistisses a uma refeição na cantina da minha escola num dia de chuva ou a uma aula de educação fisica num dia normal...

compreendias melhor se tivesses alunos que não têm dinheiro para pagar os livros e o subsidio só chega a muito poucos, principalmente aos que raramente põem os pés na escola!!

enfim, são muitas as situações que me levam a não conseguir "engolir" certas situações!!
(e desculpa o desabafo!)

Paula disse...

Na minha escola os livros também ficam no armário. Essa imagem das mochilas ao monte também já me tinha passado pela mente (se calhar passam a fazer dois montes). Mas será que eles vão chegar? Já começo a duvidar.

Shakti disse...

Concordo contigo ...este Magalhães só veio dar cabo da cabeça ao pessoal ...eu nem quero imaginar quando eles chegarem à minha sala de aula...
Vou-te confessar uma...
Eu não fazia intenção de pedir o Magalhães para o meu príncipe mais velho pois acho uma perda de tempo e dinheiro deitado fora , por isso foi falar com a professora do dele .
Expliquei que ele tem um computador em casa , que tem um portátil à disposição dele e que não havia necessidade de eu gastar 50 euros...queres saber a resposta ??!?!?

-É melhor comprar...depois eu vou trabalhar com eles e ele não tem...ok...

Não discuti mais...vou deitar 50 euros para o ar literalmente e depois quero ver esse trabalho...quero mesmo...

Lucinda disse...

Menina, vais trabalhar com o Magalhães muito caladinha porque é uma medida que vem revolucionar a informação em Portugal.Diz o outro,o inteligente. Isto está para o ano 2008 como a descoberta da Índia para o ano 1498. Na altura, diz-se, eu não estava lá, os outros europeus andavam ocupados na guerra e, por isso, os portugueses tiveram tamanho sucesso. Agora, deve ser por causa da crise na bolsa que os outros ainda não viram que dar computadores aos meninos era uma medida única, inédita e proveitosa.Andam todos entretidos a salvar as economias dos seus países, no nosso dão-se comutadores. Aqui não se dorme em serviço.

Manga dalpaka disse...

Caramba, estás num dia mau! Toma qualquer coisa, bebe um copo!

Maria Moura disse...

É tão fácil falar quando não se está no terreno, não é?

Ah, de qualquer forma, louvado seja o Magalhães!

Que mau feitio, mulher, não te entendo.
( mas olha, serve-te de consolação se te disser que ando raladinha para desancar nos Magalhães, nas Lurdinhas, nos projectos-de-primeiros-e-afins do nosso país e quiça dos arredores? Por isso, olha, junta-te ao clube e desabafa mulher!)

Emiele disse...

OK, OK, pode dizer-se que tens as tuas razões para o mau feitio, mas costumas levar a coisa mais 'na desportiva', era isso que eu queria dizer.
Aliás, acabas por concordar que tens em mãos questões bem mais graves do que a existência futura de alunos com os famosos pczinhos. E o desabafo era justíssimo.

aflores disse...

Eu nunca escrevi (nem vou escrever) nada relacionado com o dito cujo "Magalhães", mas a verdade é que proliferam artigos relativos a esse assunto. Em todos eles (quando me apetece), eu faço sempre o mesmo tipo de comentário...sou contra todas essas campanhas sejam Magalhães ou e-escolas, ponto final parágrafo.
Sou a favor da modernização das escolas, com óptimas condições de trabalho (para professores e alunos), cantinas, biblioteca, informática, instalações sanitárias dignas, enfim...tudo!
Por outro lado, também sou contra que hoje em dia os alunos a partir de uma certa altura, sejam quase "obrigados" pelo sistema a comprar computador...porque a escola tem plataforma "não sei quê"...estão lá as planificações de trabalho, resumos, apontamentos, etc,etc, etc.

Não considero que a existência de computadores em casa/por família, seja sinónimo de desenvolvimento e cultura. Considero sim "chupetas" com açucar....muitas vez amargo.

E fiquemos por aqui, pois é suposto isto ser um comentário e não um artigo de opinião.

[as minhas desculpas]

Mimos da Dora disse...

olá!
pensa assim: o magalhães acabará por ficar em casa, para a criançada brincar!!! na escola caneta e lápis... ehehehehe!
não vale a pena sofrer por antecipação!
na escola do meu filho há uma turma a ter aulas num contentor... e mais não digo!