29 de outubro de 2008

Viva a coerência deste governo!

Hoje é notícia que o CNE (não são aqueles senhores das eleições, é o Conselho Nacional de Educação) propõe o fim dos "chumbos" até aos 12 anos.
Parece que se estão a basear no modelo finlandês, onde ninguém reprova e onde o desempenho escolar é o melhor do mundo.

(aqui gostava imenso de saber se o melhor desempenho escolar do mundo se alcança por ninguém chumbar, ou se ninguém chumba por o desempenho escolar ser o melhor do mundo - mais ou menos como a história de "quem apareceu primeiro, o ovo ou galinha")

Giro, giro é fazer este paralelismo:
para avaliar os alunos o governo vai buscar o modelo finlandês, para avaliar os professores vai copiar o modelo chileno!!

Coerentes, não??

9 comentários:

Lucinda disse...

Vai-te contentando com o modelo chinês porque não tarda tens o albanês. As leis do ensino são como tudo neste governo, só é para cumprir o que traga vantagens à chefia. Os outros são os outros e está tudo dito.

Shakti disse...

Eu ouvi na rádio essa do modelo finlandês e pensei cá para comigo...de certeza que se enganaram na noticia é impossível estarem a falar do mesmo governo..isto é uma coerência portuguesa socialista...só pode !

bj

Emiele disse...

Uns humoristas, é que são, afinal...
O «modelo finlandês»??? Será pela crise financeira?...

Angel disse...

As propostas q surgem vão de mal a pior - viva o Facilitismo! Bah!

Nilson Barcelli disse...

O CNE é constituido por professores.
O governo está contra a recomendação.
Os finlandeses não reprovam até aos 12 anos porque os professores, de um modo geral, têm meios e vontade para apoiar especificamente os alunos com maiores dificuldades. Nós ainda não chegamos a esse ponto...
Beijinhos.

ameixa seca disse...

Acho que é o modo que encontraram de colocar mais anormais nas bancadas da Assembleia. Afinal o Sócrates também é um valente chumbo e chegou onde chegou...

Saltapocinhas disse...

ameixa: adoro os teus comentários! ;)

nilson: cá ninguém é apoiado, temos uns apoios de faz de conta!!
para além disso, qual é o apoio que se pode dar (na escola) a quem passa fome em casa??

emeile: não me apeteceu andar a pôr links, mas anotícia está nos jornais de hoje!
e se também copiassem o modelo finlandês para pagar os ordenados, começano pelo ordenado mínimo?

aflores disse...

Se agora, os alunos (e respectivos encarregados de educação) fazem o que querem e bem lhes apetece, o que será daqui por uns tempos? Simplifiquem as coisas...acabem com as escolas, com os professores...e passem diplomas aos meninos com o grau de licenciatura...já agora, fica arrumado;)

maria disse...

O CNE é constituído por professores no activo?
Ou alguma vez estiveram no terreno a dar aulas "a sério"?
Alguma vez apanharam crianças sem lanche e com uns olhos enormes a olhar para a profª à hora do intervalo, como k a pedirem desculpa por não terem nada para comer? Alguma vez deram e/ou pagaram do próprio bolso, comida para k essas crianças pudessem trabalhar na sala de aula? EU JÁ!!! e tds nós, os k estamos ou estivemos com crianças.
Há ainda os outros profs, aqueles que fingem que estao ao lado dos alunos, mas só vêem o próprio umbigo!!! como lhes chamam? ah!CNE!!! e outros, e outros...
Trabalhem com crianças, contactem com as realidades sociais, equipem as escolas, providenciem o Apoio Educativo adequado à nossa realidade e dps, e só dps, ponham em pratica o sistema europeu k mais lhes der na gana!!!
O sistema de avaliação, esse... eit! é tb à medida dos do umbigo saído!!!

Cumps
mm